Física na Veia!

Arquivo : eclipse lunar

Eclipse lunar e aproximação de Marte: registros astrofotográficos
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

eclipse_lunar_28jul2018_01.jpg

A Lua Cheia totalmente eclipsada no início das observações (arquivo pessoal

 

Ontem tivemos eclipse lunar total e aproximação de Marte. Escrevi, antecipando o fenômeno, neste post onde também falo sobre a aproximação de Marte que na noite de ontem estaria visualmente próximo da Lua Cheia.

Consegui alguns registros fotográficos interessantes. Mas não postei as imagens logo em seguida porque aqui em São João da Boa Vista, interior de São Paulo, está acontecendo o Festival Assad (confira detalhes no site do evento).

Como sou apaixonado por Astronomia e por Música, tão logo terminei de fotografar o espetáculo astronômico, tomei um banho rápido, troquei de roupa voando e corri para o nosso Theatro Municipal para assistir ao espetáculo musical. Só posso dizer que ambos foram lindos! Valeu a pena toda a correria!

Somente hoje, sábado, 28 de julho, com mais tempo e calma, estou vendo e tratando as imagens. Escolhi algumas para mostrar para você caro(a) leitor(a) do Física na veia!.

O começo do fenômeno foi um pouco desesperador para mim. Já havia dado o horário da Lua Cheia eclipsada despontar por trás da serra mas eu não via nada! É que havia uma camada baixa de nuvens que me impedia de ver e fotografar a Lua nascendo.

Mas, com pelo menos uns 15 minutos de atraso, a Lua Cheia cor de tijolo deu as caras. A primeira imagem do eclipse que consegui é a que está lá no topo. A Lua ascendeu e saiu de trás da faixa baixa de nuvens. Por sorte a nuvem rala estava bem baixa e o resto do céu acima razoavelmente limpo. Este foi o nascer da Lua Cheia eclipsada para mim!

A Lua Cheia estava, como esperado, da cor de tijolo. Veja-a em close abaixo.

eclipse_lunar_28jul2018_02.jpg
A Lua Cheia totalmente eclipsada no início das observações (arquivo pessoal)

 

Aos poucos a Lua Cheia foi saindo da umbra (vermelha) da Terra. Na parte inferior do nosso satélite o brilho normal da Lua Cheia foi voltando enquanto na parte de cima ainda prevalecia o efeito da Lua vermelha.

eclipse_lunar_28jul2018_03.jpg
A Lua Cheia começando a sair do cone de umbra (vermelho) da Terra

 

O legal de um eclipse lunar é observamos a evolução temporal do fenômeno. Como já começamos a ver a Lua Cheia totalmente eclipsada, pudemos acompanhar a saída dela do cone de umbra (vermelho) da Terra.

eclipse_lunar_28jul2018_04.jpg
Aos poucos a Lua Cheia vai perdendo o tom avermelhado e voltando a ser uma Lua Cheia prateada (arquivo pessoal)

 

eclipse_lunar_28jul2018_05.jpg
O fenômeno progride e a Lua Cheia vai deixando o cone de umbra da Terra (arquivo pessoal)

 

eclipse_lunar_28jul2018_06.jpg
Agora falta pouco! A Lua Cheia tem só um pedacinho dentro do cone de umbra da Terra (arquivo pessoal)

 

E finalmente temos uma Lua Cheia quase normal. Ela ainda está dentro da penumbra da Terra. Mas já “recuperou” quase que totalmente o seu brilho natural. Daqui para frente, a olho nu, quase não percebemos diferença alguma.

eclipse_lunar_28jul2018_07.jpg
Fim da fase da totalidade. A Lua Cheia ainda está na penumbra da Terra. (arquivo pessoal)

Participação mais do que especial de Marte

eclipse_lunar_28jul2018_08_,Marte_Pico-Gaviao.jpg
Ainda está claro. Mas Marte, no canto superior direito, já brilhava intenso no céu (arquivo pessoal)

 

O dia ainda estava claro. A Lua Cheia não aparecia por conta das nuvens baixas. Mas Marte, um pouco acima da Lua, já havia vencido a camada de nuvens. O brilho, por conta da aproximação com a Terra, era tão intenso que, ainda com um pouco de luz solar, Marte já era bem visível.

O pontinho luminoso “colado” na serra é a iluminação artificial do Pico do Gavião, local que fica na divisa São Paulo/Minas Gerais e bastante conhecido pela rampa de decolagem para praticantes de voo livre e também por ser um local bastante alto do qual podemos ver de cima toda a região. Neste post publiquei uma foto da Lua Cheia nascendo por trás da serra há dois meses. Por pura sorte, cruzava o disco lunar um praticante de voo livre. Eu não o via pelo display da câmera. Mas sua silhueta saiu na foto.

Durante o eclipse, e por toda a noite, Marte foi um guardião da Lua, acompanhando-a bem de perto¹.

eclipse_lunar_27jul2018_anima_longe.gif
Animação: Lua e Marte ascendendo no céu. (arquivo pessoal)

 

Encerro este papo com uma foto especial que mostra a tão esperada cena da Lua Cheia avermelhada durante a totalidade do eclipse ao lado de Marte que é o planeta sempre vermelho-alaranjado.
eclipse_lunar_28jul2018_Lua-Marte.jpg
A Lua Cheia totalmente eclipsada e Marte (arquivo pessoal)

 

Gostou? Deixe seus comentários e divulgue este post para que mais pessoas possam ver as imagens deste lindo duplo fenômeno astronômico!


Para ver

  • Álbum do UOL mostrando o eclipse lunar ao redor do mundo

Hoje tem eclipse lunar total e máxima aproximação de Marte
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Hoje, 27 de julho, temos dois eventos astronômicos curiosos ocorrendo simultaneamente.

E o melhor: ambos podem ser observados a olho nu!

Siga as minhas dicas. E aproveite-os!

 

1. Eclipse Lunar Total

ec_lua_16ago2008_poster[1].jpg
Registro do eclipse lunar total de 16/08/2008, parecido com o de hoje (arquivo pessoal)

 

Quando a Lua Cheia mergulha no cone de penumbra da Terra iluminada pelo Sol, temos um eclipse lunar penumbral. O efeito prático é um ligeiro escurecimento da Lua Cheia sempre muito brilhante. A olho nu este fenômeno é muito difícil de ser percebido

Mas, se a Lua Cheia penetra por inteiro no cone de umbra (ou sombra) da Terra, o eclipse é total. É o que ocorrerá hoje. Este fenômeno é bem perceptível a olho nu e vale a pena ser observado. Quando apenas uma parte da Lua entra na umbra da Terra, o eclipse é parcial, menos interessante que o total mas, ainda assim, bonito de se ver.

Num eclipse lunar total vemos a Lua Cheia se apagando por uma das bordas, e escurecendo aos poucos, como se estivesses sendo “comida” pela beirada. No ápice do fenômeno, quando seria esperado que a Lua Cheia desaparecesse por completo ao mergulhar integralmente no cone de sombra da Terra, por um “capricho cósmico” ligado à atmosfera terrestre, um pouco de luz vermelha e alaranjada mergulha para dentro do cone de sombra que, portanto, deixa de ser sombra ao pé da letra e “tinge” a Lua Cheia tradicionalmente prateada de um tom vermelho tijolo bem característico. Confira o efeito nas diversas imagens aqui publicadas, todas de registros fotográficos que fiz de alguns eclipses lunares ao longo do tempo.

Certamente você vai ver/ouvir manchetes do tipo “Hoje tem eclipse lunar total com Lua de Sangue”. Em primeiro lugar, não tem nada de sangue. Esqueça a desnecessária dramaticidade. E aproveite a beleza do fenômeno astronômico que vai “tingir” a Lua Cheia de vermelho-alaranjando. Em segundo lugar, em qualquer eclipse lunar do tipo total a Lua Cheia fica avermelhada. Logo, é praticamente um pleonasmo astronômico dizer que teremos eclipse “E” a Lua vai ficar vermelha pois uma coisa leva à outra inequivocamente.

Hoje, aqui no Brasil, quando a Lua Cheia nascer, logo depois das 18h, o eclipse já terá começado. Terá, inclusive, atingido o seu ápice ou totalidade e a Lua Cheia (ainda com uma parte avermelhada/alaranjada) já estará saindo do cone de umbra. Veremos, portanto, boa parte da segunda metade do evento, o que já é muito bonito e instigante. Vai ser divertido acompanhar a transformação visual da Lua desde o seu nascimento já eclipsada até mais tarde quando voltará a ser a linda Lua Cheia prateada de sempre. O que poderemos observar será algo bem parecido com o eclipse lunar que registrei em 16/08/2008 quando a Lua Cheia já nasceu eclipsada. As imagens você confere lá no topo do post.

Veja abaixo uma didática animação de Larry Koehn do site shadowandsubstance.com que simula a passagem da Lua Cheia pela penumbra e pela umbra da Terra exatamente da forma como o fenômeno será visto hoje a partir do hemisfério sul terrestre. Mas, como eu já disse, dasqui do Brasil só veremos boa parte da segunda metade do fenômeno.

 

Anote aí: a parte observacional mais legal do fenômeno será do nascer da Lua Cheia (pouco depois das 18h) até por volta das 19h30min. Este é o período que você deve procurar pela Lua Cheia (horizonte leste) e tentar observar o fenômeno! Aproveite!

Para aguçar ainda mais a sua vontade de observar o fenômeno, abaixo você vê outro registro que fiz da primeira metade de um eclipse lunar total na madrugada de 21 dezembro de 2010, bem perto do Natal. Depois o Sol nasceu e, com o dia claro, não deu para ver a segunda parte do eclipse.

ec_l_21-dez-2010_poster_[1].jpg
Registro do eclipse lunar total na madrugada de 21/dez/2010 (arquivo pessoal)

Em 03/03/2007, com mais sorte, deu para registrar um eclipse lunar total do começo ao fim. O resultado você vê abaixo.

eclipse_mar2007_poster_hi[1].jpg
Registro completo do eclipse lunar total em 03/03/2007 (arquivo pessoal)

 

Se quiser aprofundar o tema eclipses lunares, neste post o fenômeno está bem detalhado.

2. Marte em aproximação com a Terra

Marte_25jul2018_edited.jpg
Registro astrofotográfico de Marte que fiz em 25 de julho deste ano. (arquivo pessoal)

 

O planeta Marte caminha para oposição, situação em que se encontra em relação à Terra do lado oposto do Sol. Na oposição um planeta nasce justamente no momento em que o Sol está se pondo. No caso da Terra e de Marte, na prática, no dia 31/julho, eles estarão em oposição e assim ficarão lado a lado em suas órbitas ao redor do Sol, o que significa que Marte estará em máxima aproximação com a Terra. Logo, estará visualmente maior e mais brilhante. Para observá-lo, é o melhor momento. Mas hoje, uns dias antes, assim como uns dias depois da oposição, a olho nu a diferença de tamanho e brilho aparentes de Marte é desprezível. Aproximações Terra-marte acontecem a cada 26 meses. Vamos aproveitar estes próximos dias!

Desde o mês passado venho observando Marte a olho nu e também com o telescópio. E a evolução no tamanho e no brilho aparentes do planeta é notável. Infelizmente, uma tempestade de areia (confira neste post) em escala planetária cobriu Marte com um verdadeiro véu de pó, prejudicando a observação de detalhes em sua superfície.

O mais legal de tudo é que Marte estará visualmente próximo da Lua Cheia, um pouco acima e para a direita dela. Assim, se você for observar o eclipse lunar, de brinde verá Marte.

Vai ser uma cena linda e inusitada: A Lua Cheia e parcialmente vermelha ao lado do sempre vermelho Marte.

Confira abaixo simulação que fiz para São João da Boa Vista, SP, minha cidade, mostrando a Lua Cheia eclipsada j(vermelha) mas já deixando a totalidade por volta da 18h30min e acompanhada de Marte em máxima aproximação com a Terra.

Lua_eclipse_Marte_oposicao_27jul2018.jpg
Lua e Marte por volta das 18h30min. Simulação com o software Stellarium

 

Mesmo depois do fim do eclipse lunar, você continuará vendo Marte visualmente próximo da Lua Cheia e poderá observá-lo ao longo de toda a noite. 

Deixe suas impressões pessoais sobre os fenômenos e suas próprias observações nos comentários!

BOAS OBSERVAÇÕES!


Este texto também foi publicado no Física na veia! (Steemit) neste link.

Para saber mais

  • Entrevista na rádio CBN com o prof. Paulo Bretones (UFSCar) sobre o eclipse lunar.

Já publicado no Física na veia! 


Cobertura do Eclipse Total da Super Lua
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

 

Por volta das 18h20min, cÇamera no tripé...

Por volta das 18h20min, câmera no tripé, tudo pronto, mas nada da super lua que já nasceu… Malditas nuvens!

 

18h20min – A Super Lua já nasceu. Mas não consigo vê-la por conta das nuvens… (imagem acima)

Como sou otimista, a câmera digital com a bateria em 100% de carga já está fixa no tripé. Tudo pronto. Se as nuvens derem uma brecha, observo e registro a Lua Cheia “turbinada”, mais conhecida como Super Lua.

Mais tarde, por volta das 21h, começa o eclipse. A melhor parte será entre 22h e 24h. Quem sabe até lá o céu abre um pouco e nos deixa ver o espetáculo…

18h31min – A Super Lua Cheia apareceu tímida, por uns segundos, por trás das nuvens. Nem dá para perceber que a Lua está Super!

eclipse_superlua_27set2015_01

A Super Lua Cheia apareceu tímida por entre as nuvens…

 

18h43min – Dá para perceber o luar “turbinado” por trás das nuvens. Mas é só… Difícil até de acertar o foco!

eclipse_superlua_27set2015_02

18h59min – A melhor foto até agora. A Lua Cheia deu as caras num buraco entre as nuvens. Ah…. se o céu estivesse limpo…

eclipse_superlua_27set2015_03

A melhor… digo.. menos pior imagem da Super Lua Cheia até agora. Brigando com as nuvens…

 

20h03min – Parece que o céu vai limpar! Falta pouco mais de 1h para o início da fase penumbral que é bem sutil. Mas até por volta das 22h, quando vai começar a totalidade do eclipse, a melhor parte do fenômeno, há boa chance do céu estar bem limpo!

eclipse_superlua_27set2015_04

Animador! O céu está limpando! Foto mais nítida até agora, quase sem nuvens.

 

Já não consigo ver a Super Lua Cheia da janela do meu apartamento. Logo mais vou descer para, a céu aberto, registrar o eclipse.

Deixo um link para o Astronomia ao Vivo, hangout de amigos que estão cobrindo o evento. Se der, mais tarde entro no papo. Mas preciso “trabalhar” nos registros fotográficos!

22h13min – A Super Lua Cheia começa a mergulhar na umbra da Terra. Está começando a fase da totalidade.

eclipse_superlua_27set2015_05

22h13min: a Super Lua Cheia começa a mergulhar na umbra da Terra.

22h23min – E a Super Lua Cheia vai sendo “comida” pela beirada por efeito do mergulho na umbra.

eclipse_superlua_27set2015_06

22h23min: a caminho da totalidade

22h53min – E a Super Lua vai sumindo aos poucos. E continuo brigando com as nuvens. Todas as imagens foram feitas em brechas ocasionais. Quase deu eclipse do eclipse.

23h53min: A Super Lua se apagando...

22h53min: A Super Lua se apagando…

Depois da imagem acima o céu nublou geral. Quase nem dava para ver a Lua avermelhada na totalidade do eclipse. Paciência….

Abriram umas duas ou três brechas e, rapidamente, peguei a a “Lua Sangrenta” que não tem sangue mas muita luz vermelho-alaranjada. Linda! Ainda que por poucos segundos…

23h22min – Finalmente vi a cara da Super Lua Cheia eclisada. Aproveitei uma brecha entre as nuvens, coisa de 15 s, e fiz uma foto com exposição de 1,6s para garantir luminosidade. Deu certo!

eclipse_superlua_27set2015_08

23h22min: Finalmente a Super Lua vermelha cor de tijolo! Mas por alguns segundos…

Depois dessa imagem fiz mais umas duas, sempre brigando com as nuvens.

A galera do condomínio que estava comigo desanimou porque o céu fechou geral. Continuei observando por mais uns 15 minutos. Mas a chuva voltou. Acabou a brincadeira.

Mas valeu a pena! Com paciência, perseverança, venci as nuvens! E agora posso dizer que fui testemunha ocular de um belíssimo eclipse num dia de Super Lua Cheia!

__________________

E você, está vendo a Super Lua? Deixe seu comentário aqui e também na nossa fanpage!

O que é e como ocorre uma Super Lua?

Como é um eclipse lunar total? Por que a Lua Cheia fica vermelha?

Vídeo da NASA (em inglês)


Cronologia do evento

Não percada nada do eclipse!

– Lua Cheia totalmente dentro da região de penumbra: 22h07min11s
– Lua Cheia totalmente dentro da região de umbra (início da fase total): 23h11min10s
– Lua Cheia começa a sair da umbra: 00h23min05s
– Lua Cheia totalmente dentro da região de penumbra (fim da fase total): 01h27min03s
– Lua Cheia sai da penumbra (fim do eclipse): 4h22min27s


Para ver

Superlua ilumina o céu do mundo inteiro (álbum do UOL Ciência)


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>