PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Está de quarentena? Aproveite o céu noturno! Tem até cometa pra observar!

Prof. Dulcidio Braz Júnior

04/05/2020 17h40

Print da tela da live do canal AstroNEOS, de Cristóvão Jacques, em 3 de abril de 2020, em que ele registra remotamente o cometa C/2020 F8 Swan pelos olhos do Sonear

Em plena pandemia, em isolamento social horizontal, venho sugerindo a quem quiser e se interesse por astronomia para aproveitar e  ver o céu sem sair de casa, do quintal ou até mesmo pela janela. É seguro, nos remete às nossas origens cósmicas, nos acalma, e nos ajuda a passar de forma mais serena por este período difícil para toda a humanidade e, em particular, para o Brasil. Até criei a hashtag #astroisolamento para divulgar minhas ações nas redes sociais. Veja, lá no rodapé deste texto, links para outras publicações nesta mesma linha.

O planeta Vênus continua dando show ao entardecer, perto do horizonte oeste, lado do Sol poente, logo que o céu começa a escurecer. Marte, Saturno e Júpiter nascem no começo da madrugada e podem ser vistos quase que alinhados na direção vertical aparente, logo acima do horizonte leste, lado do Sol nascente. Está muito fácil encontrá-los no céu!

Teremos nesta semana a Lua Cheia no perigeu, o que muitos chamam de "Superlua" por estar ligeiramente maior e mais brilhante por conta da aproximação com a Terra.

Tem muita coisa para ver no céu. Temos até um novo cometa "de brinde". Trata-se do C/2020 F8 Swan, descoberto em 25 de março deste ano a partir de imagens da câmera Swan, da sonda Solar Heliospheric Observer. Ao longo desta semana ele estará visível logo "abaixo" de Marte, no horizonte leste, a partir de 4h (horário de Brasília).

A boa notícia é que o C/2020 F8 Swan, como esperado com todos os cometas, evoluiu com a sua aproximação com o Sol e já tem uma boa cauda¹. A má notícia, porém, é que ele ainda está abaixo do limite de visão humana e, para ser visto, requer pelo menos um binóculo ou um telescópio que propiciem aumento e maior captura de luz. Também é possível fotografá-lo com uma câmera fixa em tripé e uma ou mais imagens de longa exposição para serem trabalhadas depois para mostrar que o astro, ainda que "longe dos olhos", está lá. Foi o que tentei fazer nesta madrugada, mas não consegui por conta da névoa que havia no céu, especialmente perto do horizonte, bem onde estava o cometa. Mas vou continuar tentando nas próximas madrugadas, ao longo desta semana.

Talvez o cometa fique maior e mais brilhante mas, como para nós do hemisfério sul ele caminha "para baixo", só estará acima do horizonte depois que o Sol já tiver nascido. Ou seja, não poderemos mais observá-lo daqui do Sul do equador.

Na madrugada de ontem, Cristovão Jacques, astrônomo do Sonear (Southern Observatory for Near Earth Asteroids Research²), observatório astronômico brasileiro que fica em Oliveira, Minas Gerais, fez uma fantástica live e conseguiu mostrar o cometa Swan em tempo real operando os telescópios remotamente. A belíssima imagem lá do topo do post é uma delas. E a live, que está gravada no canal AstroNEOS recém inaugurado por Jacques, deixo para você logo abaixo. É só dar play e aproveitar! Vale a pena ver o que é possível fazer hoje com a tecnologia de telescópios e as câmeras CCD dedicadas à astrofotografia.

Faça como eu: inscreva-se no canal AstroNEOS. Acione o sininho para as notificações. E viaje com o trabalho fantástico do Cristóvão Jacques e do Sonear. Estou sempre ligado em tudo o que está rolando por lá! Aprendo e me divirto bastante.

Se for tentar observar o cometa, procure por ele visualmente abaixo de Marte, uns 20 graus acima do horizonte leste, como na simulação abaixo, onde o cometa está indicado pela mira vermelha em cruz.

Simulação da posição do C2020 F8 Swan para a madrugada de 5 de maio de 2020, por volta das 5h

Mas preste atenção ao fato de que mas próximas madrugadas o cometa estará cada vez mais baixo, mais perto do horizonte e, consequentemente, gradativamente mais difícil de ser observado.

Boas observações!

#Astroisolamento #FiqueEmCasa #OlheParaOCéu

Abraço do prof. Dulcidio! Física e Astronomia — sempre com muita sensatez científica — na veia!


¹ Cometas possuem material volátil que, com a aproximação com o Sol, sofrem aquecimento gradativo e vão se soltando, formando ao redor do núcleo sólido uma nuvem chamada de coma ou cabeleira.  O fluxo de partículas emanadas pelo  Sol, conhecido como vento solar, "sopra"  parte da coma para o espaço, criando a cauda do cometa. Assim, um cometa que é originalmente um astro pequeno e frio, difícil de ser visto, cresce em diâmetro visível e brilho aparente ao aproximar-se do Sol, e ainda pode ostentar uma longa cauda que se estende por uma vasta região do céu.
² Como sugere o nome, o Sonear é um observatório dedicado à descoberta de asteroides e outros objetos próximos à Terra. O equipamento funciona remotamente, varrendo regiões pré determinadas do céu em busca de novos objetos, os NEO (Near Earth Objects). O Sonear já tem uma vasta coleção de novos asteroides e até de cometas lá descobertos. E, segundo me informou Jacques, vem novidade quentíssima por aí, só aguardando oficialização!

Já publicado aqui no Física na Veia!

 

Sobre o autor

Dulcidio Braz Jr é físico pelo IFGW/Unicamp onde atuou como estudante e pesquisador no DEQ – Departamento de Eletrônica Quântica no final dos anos 80. Mas foi só começar a lecionar física para perceber que seu caminho era o da educação. Atualmente, além de professor, é autor de material didático pelo Sistema Anglo de Ensino / Somos Educação e pela Editora Companhia da Escola. É pioneiro no Brasil no ensino de Relatividade, Quântica e Cosmologia para jovens estudantes do final do ensino médio e início do curso superior. E faz questão de dizer que, aqui no blog, é professor/aluno em tempo integral pois, enquanto ensina, também aprende.

Sobre o blog

"O Física na Veia! nasceu em 2004 para provar que a física não é um “bicho papão”. Muita gente adora física. Só que ainda não sabe disso porque trocou o conteúdo pelo medo. Se começar a entender, vai gostar. E concordar: a Física é pop! Pelo seu trabalho de divulgação científica, especialmente em física e astronomia, sempre tentando deixar assuntos árduos mais leves sem jamais perder o rigor conceitual, o Física na Veia! foi eleito por um júri internacional como o melhor weblog do mundo em língua portuguesa 2009/2010 pelo The BOBs – The Best of Blogs da alemã Deutsche Welle."