Física na Veia!

Arquivo : olimpíadas

OBA e OBF 2018: inscrições abertas
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

 

Olimpíadas estudantis são competições saudáveis que sempre incentivam os nossos jovens a estudarem mais e, consequentemente, aprenderem mais.

Sempre motivo meus alunos a participarem de olimpíadas estudantis, especialmente a OBF – Olimpíada Brasileira de Física e a OBA – Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, olimpíadas nacionais da minha área.

Ambas as olimpíadas estão com inscrições abertas. Vale lembrar que são as escolas, através de professores representantes, que se inscrevem nestas competições. A inscrição dos alunos é mais adiante. Para saber mais detalhes, consulte os respectivos regulamentos disponíveis nos links fornecidos aqui neste post.

Escolas que participaram da  OBA  em 2017 estão automaticamente inscritas e cadastradas para a edição 2018. Mas a OBF exige novo cadastramento e inscrição das escolas a cada nova edição.

A  OBA  acontece em fase única, na própria escola. Em 2018 a prova será aplicada no dia 18/maio, uma sexta-feira. Esta olimpíada funciona como “peneira” para escolher os melhores alunos do Brasil que vão disputar uma vaga para defender o Brasil nas olimpíadas internacionais de astronomia e astrofísica do ano posterior. Vale lembrar que, paralelamente à OBA acontece a MOBFOG – Mostra Brasileira de Foguetes, competição onde os alunos são motivados a projetar e lançar obliquamente foguetes artesanais nos quais a propulsão deve ser apenas água e ar comprimido.

OBF é realizada em três fases, sendo a primeira fase na própria escola, a segunda fase numa sede regional, e a terceira fase numa das inúmeras sedes estaduais espalhadas pelo Brasil, em geral universidades públicas. A primeira fase será aplicada no dia 10/maio, quinta-feira. A segunda fase acontece no começo do segundo semestre, em 18/agosto, sábado. E a finalíssima será no dia 06/outubro, sábado. Esta olimpíada seleciona estudantes brasileiros que vão defender nosso país nas olimpíadas internacionais de física de 2019.

Se você é professor da área de exatas, inscreva a sua escola e convide os seus alunos para participarem da OBF e da OBA. Como sempre digo, ninguém sai de “mãos vazias” de uma olimpíada estudantil. Mesmo quem não ganha medalha, sempre ganha conhecimento, o que é a melhor parte!

 

 


Campeões nas Olimpíadas de Astronomia 2014
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Fotos da VI OLAA: facebook.com/obabr
Equipe Brasileira na OLAA 2014

‘Selfie oficial’ da equipe brasileira: prof. Julio César Klafke (na frente) e prof. João Batista Garcia Canalle com os cinco jovens campeões brasileiros

 

Entre os dias 10 e 16 de outubro aconteceu na cidade de Minas, no Uruguai,  a VI OLAA – Olimpíada Latino Americana de Astronomia e Astronáutica.

Os cinco jovens estudantes representantes do Brasil no evento deram show! Confira:

1 – Rafael Charles Heringer Gomes, Romero Moreira Silva e Wagner Fonseca Rodrigues conquistaram medalhas de ouro;
2 – Carolina Lima Guimaraes e Lucas Hagemaister conquistaram medalhas de prata;
3 – Os cinco jovens talentos brasileiros receberam o prêmio especial de melhor prova individual pois TODOS gabaritaram a prova que fizeram individualmente;
4 – Rafael Charles Heringer Gomes conquistou mais dois prêmios especiais: melhor prova em grupo e melhor prova de foguetes;
5 – E, como se talento e competência não bastassem, Carolina ainda recebeu o prêmio de melhor companheira, eleita por todos os alunos participantes do evento.

Resultados sensacionais, não? Essa equipe brasileira entra para a história do evento pois é a que mais ganhou prêmios dentre todas as equipes de todas as seis edições da VI OLAA. Está bom para você? Eu fiquei super orgulhoso pelo excelente desempenho dos jovens brasileiros!

Parabéns aos organizadores da OBA – Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica pela iniciativa e fôlego de realizar essa olimpíada por tanto tempo e com tanta competência! Em 2014 a OBA chegou à sua 17ª edição! E é a primeira prova seletiva dos estudantes que defenderão o Brasil nas olimpíadas internacionais de Astronomia e Astrofísica no ano posterior (veja mais detalhes logo abaixo). A OBA é coordenada pelo prof. João Batista Garcia Canalle (IF/UERJ).

Parabéns também aos professores que treinaram a equipe brasileira no curso intensivo presencial. A moçada, que obviamente tem talento, provou que está afiadíssima. Isso é a marca da dedicação e competência dos treinadores!

E PARABÉNS super especiais e com todas as letras e honras à Carolina, ao Lucas, ao Rafael, ao Romero e ao Wagner, os cinco jovens estudantes brasileiros que defenderam nossas cores com muita categoria!


OLAA2014 Carolina

Carolina Lima Guimarães


OLAA2014 Lucas

Lucas Hagemaister


OLAA2014 Rafael

Rafael Charles Heringer Gomes


OLAA2014 Romero

Romero Moreira Silva


OLAA2014 Wagner

Wagner Fonseca Rodrigues

 

Como funciona a seleção dos estudantes brasileiros?

A OBA – Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica seleciona anualmente cerca de 1000 estudantes do ensino médio de todo o Brasil para um processo de treinamento  e provas que vão filtrando os melhores até chegar aos cinco estudantes que vão compor a equipe que defenderá o Brasil nas OIAs – Olimpíadas Internacionais de Astronomia no ano posterior. Atualmente o Brasil participa da OLAA – Olimpíada Latino Americana de Astronomia e Astronáutica e também da IOAA – International Olympiad on Astronomy and Astrophysics.

Os estudantes de ensino médio pré-selecionados se inscrevem numa plataforma de ensino de Astronomia e Astrofísica à distância onde recebem aulas e também fazem provas seletivas que vão peneirando os melhores. No final, uma equipe bastante reduzida faz uma prova presencial para compor a equipe final que defenderá o Brasil nas olimpíadas internacionais no ano seguinte. Os cinco finalistas são então convocados para um treinamento intensivo presencial com astrônomos profissionais.

Logo, o sucesso dos nossos estudantes nas olimpíadas internacionais de Astronomia e Astrofísica não é casual. Ele vem de todo um processo que inicialmente incentiva milhares de estudantes de todo o Brasil a se aprofundarem em temas ligados à Astronomia e Astrofísica. Em seguida, pela prova da OBA, define um seleto grupo de jovens talentos brasileiros de norte a sul que passarão por mais treinamento e provas seletivas. É uma estratégia muito bem organizada para escolher os melhores dentre os melhores e oferecer muito, mas muito treinamento.

Participo com meus alunos desde as primeiras edições da OBA. Ao longo dessa história, muitos foram medalhistas. Diversos foram pré-selecionados para disputar vaga na equipe olímpica e passaram por treinamento oficial do evento. Por dois anos consecutivos tive um aluno que ficou como suplente da equipe brasileira (confira: 2004 e 2005).

Em 2014,  cinco dos meus alunos de ensino médio foram medalhistas na 17ª edição da OBA, todos do CEI – Centro Educacional Inovação com sede em Poços de Caldas, Minas Gerais.

Fotos: CEI/Poços de Caldas  (arquivo pessoal)
OBA2014 CEI Poços de Caldas

Joaquim, Giovani, Cícero e Fernando: pré-selecionados para compor a equipe que defenderá o Brasil nas OIAs 2015

 

Giovani Nascimento Pereira (3ª série) foi medalha de ouro. Cícero Luiz Alves Zanette (2ª série), Fernando Lucas Araújo Amaral (3ª série) e Joaquim Augusto Pomarico Cioffi (3ª série) receberam medalha de prata. E Camille Bucci Simões de Paula (3ª série) conquistou medalha de bronze.

Giovani, Cícero, Fernando e Joaquim, pelo excelente desempenho na prova da OBA 2014, estão no seleto grupo de estudantes brasileiros que passarão por treinamento à distância. No próximo domingo (2/novembro) fazem simulado para testar a plataforma de EAD em Astronomia e Astrofísica. E logo na semana que vem começam seus estudos de aprofundamento. Até o começo do ano que vem passarão por diversas provas seletivas e muito treinamento.

Destaco que o Giovani foi medalhista de prata nas provas da OBA em 2012 e 2013. Nessas duas edições da olimpíada ele já foi convidado para disputar uma vaga na equipe olímpica brasileira e foi longe. Em 2014, portanto pela terceira vez consecutiva, está entre os melhores alunos de Astronomia e Astrofísica do Brasil!

Estou muito orgulhoso pelo desempenho dos meus cinco super alunos em Astronomia e, em especial, pelo convite que os quatro melhores colocados receberam da organização da OBA para disputar vaga na equipe olímpica que defenderá o Brasil nas olimpíadas internacionais de Astronomia e Astronáutica 2015.

Boa sorte para eles! Mais do que sorte: estudo e competência! Agora é estudar, estudar e estudar! E ter calma e segurança para fazer boas provas seletivas! Sigo junto, no suporte teórico e dando o apoio que eles merecem como excelentes pessoas e alunos fantásticos!

Giovani

Giovani Nascimento Pereira (ouro)

Cícero

Cícero Luiz Alves Zanette (prata)

Fernando Lucas

Fernando Lucas Araújo Amaral (prata)

Joaquim (prata)

Joaquim Augusto Pomarico Cioffi (prata)


Observação: a Camille não aparece nas fotos porque, bem no dia em que elas foram feitas, por algum problema pessoal, ela não esteve presente na escola. Mas está aqui devidamente homenageada, com todo carinho! 

 Para saber mais

  • Conheça as provas de todas as edições das OBA (com resolução e comentários). As provas do ensino médio correspondem sempre ao nível mais alto em cada edição.

Já publicado no Física na Veia!

 

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>