PUBLICIDADE
Topo

Vem chegando o verão...

Prof. Dulcidio Braz Júnior

22/12/2019 01h19

Astrocard de autoria do astrônomo prof. Irineu Gomes Varella

 

Vem chegando o verão

O calor no coração

Essa magia colorida

Coisas da vida

["Uma noite e meia" (Renato Rocketh), canção bastante conhecida na voz da cantora Marina Lima em gravação de 1987]

Segundo dados do meu caro amigo e astrônomo prof. Irineu Gomes Varella (confira em seu Astrocard logo acima), o verão começa hoje, 22 de dezembro de 2019, ao sul do equador, exatamente  à 1h19min (horário oficial de Brasília), não por coincidência no momento exato em que este post está sendo publicado.

Hoje, data astronômica conhecida como solstício de verão ao sul do equador, o Sol vai nascer com o seu máximo afastamento à direita (a rigor para o sul) em relação ao ponto cardeal leste. E teremos, aqui no hemisfério sul terrestre, o dia mais longo e a noite mais curta do ano. No hemisfério norte, ao contrário, acontece o solstício de inverno que marca o início oficial do inverno ao norte do equador terrestre com a noite mais longa e o dia mais curto do ano.

Se você observar o nascer do Sol ao longo do ano, notará que a nossa estrela não desponta no horizonte sempre no ponto cardeal leste mas ao redor deste, exceto em duas datas específicas chamadas de equinócios em que o Sol nasce exatamente ao leste. Nos dois solstícios o Sol nasce mais afastado em relação ao ponto cardeal leste sendo que no solstício de inverno (no hemisfério sul) o Sol tem o seu nascer num ponto do horizonte mais deslocado para a esquerda (a rigor, para o norte) e no solstício de verão (no hemisfério sul), como hoje, o seu nascer num ponto do horizonte mais afastado para a direita (a rigor, para o sul).

Ao longo do ano, de um solstício para o outro, o ponto exato do nascer¹ do Sol no horizonte, visto daqui da Terra, parece se deslocar. Em cada solstício, no entanto, esse deslocamento inverte o seu sentido. Em outras palavras, nos solstícios parece que o Sol nascente para de se deslocar num certo sentido para começar a se deslocar no sentido oposto. E é por isso mesmo que a palavra solstício significa "Sol parado".

Com paciência, mas muito entusiasmo, registrei fotograficamente a "dança" do nascer do Sol ao longo de um ano em solstícios e equinócios entre 2017 e 2018. Confira as imagens abaixo publicadas neste post onde aprofundo o tema.

O Sol nascente registrado ao longo de um ano em solstícios e equinócios consecutivos

 

Nas imagens acima você tem os registros do nascer do Sol desde o solstício de inverno de 2017 até o solstício de inverno de 2018, completando o ciclo anual do deslocamento do Sol nascente. Abaixo você confere as mesmas imagens, porém legendadas, destacando as datas astronômicas importantes.

O Sol nascente registrado ao longo de um ano em solstícios e equinócios consecutivos (agora com legenda)

 

Se quiser aprofundar o tema solstícios e equinócios e entender melhor por que razão temos quatro estações no ano, indico este outro post.

Para um professor, como eu, solstício de verão é sempre sinônimo de que as férias escolares de verão estão começando. Época boa para recarregar as baterias para recomeçar a saga da educação no ano seguinte. É o tentarei fazer!

Um excelente verão para você! E, se for o caso, boas férias! 

 

Abraço do prof. Dulcidio! E Física e Astronomia na veia!


¹ Por simetria, o ponto do Sol poente também varia em torno do ponto cardeal oeste ao longo do ano. 

Já publicado no Física na Veia!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Dulcidio Braz Jr é físico pelo IFGW/Unicamp onde atuou como estudante e pesquisador no DEQ – Departamento de Eletrônica Quântica no final dos anos 80. Mas foi só começar a lecionar física para perceber que seu caminho era o da educação. Atualmente, além de professor, é autor de material didático pelo Sistema Anglo de Ensino / Somos Educação e pela Editora Companhia da Escola. É pioneiro no Brasil no ensino de Relatividade, Quântica e Cosmologia para jovens estudantes do final do ensino médio e início do curso superior. E faz questão de dizer que, aqui no blog, é professor/aluno em tempo integral pois, enquanto ensina, também aprende.

Sobre o blog

"O Física na Veia! nasceu em 2004 para provar que a física não é um “bicho papão”. Muita gente adora física. Só que ainda não sabe disso porque trocou o conteúdo pelo medo. Se começar a entender, vai gostar. E concordar: a Física é pop! Pelo seu trabalho de divulgação científica, especialmente em física e astronomia, sempre tentando deixar assuntos árduos mais leves sem jamais perder o rigor conceitual, o Física na Veia! foi eleito por um júri internacional como o melhor weblog do mundo em língua portuguesa 2009/2010 pelo The BOBs – The Best of Blogs da alemã Deutsche Welle."