Topo
Blog Física na Veia

Blog Física na Veia

Registro anual completo da dança do Sol nascente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

21/06/2018 19h30

O Sol nascente registrado ao longo de um ano em solstícios e equinócios consecutivos

 

Hoje, 21 de junho de 2018, é solstício¹ de inverno no hemisfério sul e solstício de verão no hemisfério norte. Em outras palavras, hoje começa oficialmente o inverno ao sul do equador enquanto que o hemisfério norte entra na estação do verão.

Somente em dois dias do ano chamados equinócios² o Sol nasce exatamente a leste. Nos demais dias do ano nasce em torno do ponto cardeal leste.

Nas datas de solstício o Sol nasce numa posição de máximo afastamento em relação ao ponto cardeal leste. Ao sul do equador, no solstício de inverno, como hoje, o afastamento é máximo para o norte. Já num solstício de verão o afastamento é máximo ao sul.

Se você tiver paciência de observar o nascer do Sol ao longo do ano, vai concluir exatamente o que estou dizendo logo acima.

Essa dança do Sol nascente em torno do ponto cardeal leste deve-se ao fato de que a Terra tem o seu eixo de rotação inclinado de um ângulo fixo em relação ao plano orbital. Assim, enquanto a Terra orbita o Sol ao longo de um ano, vai recebendo iluminação diferencial nos dois hemisférios. Somente nos equinócios é que tal iluminação é igual nos dois hemisférios.

Desta forma, no inverno ao sul do equador, verão no hemisfério norte, o Sol está iluminando mais diretamente o hemisfério norte da Terra, exatamente o que está acontecendo gradativamente desde o equinócio de março deste ano. Por isso no hemisfério norte fica mais quente enquanto que no sul estará naturalmente mais frio. No verão ao sul do equador, inverno no hemisfério norte, ocorre o oposto.

Hoje, solstício de inverno, por volta das 6:45, pouco antes de sair para dar aulas, registrei  o Sol nascendo . Já venho registrando o nascer do Sol nos solstícios e equinócios consecutivos desde 2017, ou seja, há exatamente um ano. A imagem acima mostra a sequência do Sol nascendo respectivamente no solstício de inverno de 2017, equinócio de primavera de 2017, solstício de verão 2017, equinócio de outono 2018 e solstício de inverno 2018 (hoje). Desta forma completei o registro de um ano da dança do Sol nascente em torno do ponto cardeal leste. A imagem abaixo é a mesma lá de cima, só que legendada.

 

O Sol nascente registrado ao longo de um ano em solstícios e equinócios consecutivos

 

Bom inverno pra você!


¹ A palavra solstício quer dizer "Sol parado". Na verdade, o Sol nascente que parecia se afastar do leste, neste dia deixa de se afastar para começar o caminho oposto de aproximação. Este movimento é aparente e só é percebido daqui do referencial terrestre. Num solstício, dia e noite têm maior diferença de duração, sendo que no solstício de inverno a noite é mais longa que o dia e no solstício de verão o dia é mais longo do que a noite.
² A palavra equinócio significa "dia e noite com igual duração". Como a terra demora quase 24 h para completar uma rotação, num equinócio, tanto o dia quanto a noite duram praticamente 12 h cada um.
³ São João da Boa Vista, interior de SP, minha querida cidade, faz aniversário em 24 de junho, típico Dia de São João, dia de festa junina. Diz uma "lenda urbana" por aqui que em 24 de junho temos a noite mais longa do ano. Isso está quase certo. 24 de junho acontece apenas 3 dias depois do solstício de inverno e, portanto, é uma noite também bastante longa, bem maior que o dia, mas não exatamente a noite mais longa que coincide com o solstício de inverno ao sul do equador. A noite mais longa do ano ao sul do equador é hoje, 21 de junho.

Já publicado no Física na veia!

Sobre o autor

Dulcidio Braz Jr é físico pelo IFGW/Unicamp onde atuou como estudante e pesquisador no DEQ – Departamento de Eletrônica Quântica no final dos anos 80. Mas foi só começar a lecionar física para perceber que seu caminho era o da educação. Atualmente, além de professor, é autor de material didático pelo Sistema Anglo de Ensino / Somos Educação e pela Editora Companhia da Escola. É pioneiro no Brasil no ensino de Relatividade, Quântica e Cosmologia para jovens estudantes do final do ensino médio e início do curso superior. E faz questão de dizer que, aqui no blog, é professor/aluno em tempo integral pois, enquanto ensina, também aprende.

Sobre o blog

"O Física na Veia! nasceu em 2004 para provar que a física não é um “bicho papão”. Muita gente adora física. Só que ainda não sabe disso porque trocou o conteúdo pelo medo. Se começar a entender, vai gostar. E concordar: a Física é pop! Pelo seu trabalho de divulgação científica, especialmente em física e astronomia, sempre tentando deixar assuntos árduos mais leves sem jamais perder o rigor conceitual, o Física na Veia! foi eleito por um júri internacional como o melhor weblog do mundo em língua portuguesa 2009/2010 pelo The BOBs – The Best of Blogs da alemã Deutsche Welle."