Física na Veia!

Arquivo : Lua Cheia

Eclipse lunar e aproximação de Marte: registros astrofotográficos
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

eclipse_lunar_28jul2018_01.jpg

A Lua Cheia totalmente eclipsada no início das observações (arquivo pessoal

 

Ontem tivemos eclipse lunar total e aproximação de Marte. Escrevi, antecipando o fenômeno, neste post onde também falo sobre a aproximação de Marte que na noite de ontem estaria visualmente próximo da Lua Cheia.

Consegui alguns registros fotográficos interessantes. Mas não postei as imagens logo em seguida porque aqui em São João da Boa Vista, interior de São Paulo, está acontecendo o Festival Assad (confira detalhes no site do evento).

Como sou apaixonado por Astronomia e por Música, tão logo terminei de fotografar o espetáculo astronômico, tomei um banho rápido, troquei de roupa voando e corri para o nosso Theatro Municipal para assistir ao espetáculo musical. Só posso dizer que ambos foram lindos! Valeu a pena toda a correria!

Somente hoje, sábado, 28 de julho, com mais tempo e calma, estou vendo e tratando as imagens. Escolhi algumas para mostrar para você caro(a) leitor(a) do Física na veia!.

O começo do fenômeno foi um pouco desesperador para mim. Já havia dado o horário da Lua Cheia eclipsada despontar por trás da serra mas eu não via nada! É que havia uma camada baixa de nuvens que me impedia de ver e fotografar a Lua nascendo.

Mas, com pelo menos uns 15 minutos de atraso, a Lua Cheia cor de tijolo deu as caras. A primeira imagem do eclipse que consegui é a que está lá no topo. A Lua ascendeu e saiu de trás da faixa baixa de nuvens. Por sorte a nuvem rala estava bem baixa e o resto do céu acima razoavelmente limpo. Este foi o nascer da Lua Cheia eclipsada para mim!

A Lua Cheia estava, como esperado, da cor de tijolo. Veja-a em close abaixo.

eclipse_lunar_28jul2018_02.jpg
A Lua Cheia totalmente eclipsada no início das observações (arquivo pessoal)

 

Aos poucos a Lua Cheia foi saindo da umbra (vermelha) da Terra. Na parte inferior do nosso satélite o brilho normal da Lua Cheia foi voltando enquanto na parte de cima ainda prevalecia o efeito da Lua vermelha.

eclipse_lunar_28jul2018_03.jpg
A Lua Cheia começando a sair do cone de umbra (vermelho) da Terra

 

O legal de um eclipse lunar é observamos a evolução temporal do fenômeno. Como já começamos a ver a Lua Cheia totalmente eclipsada, pudemos acompanhar a saída dela do cone de umbra (vermelho) da Terra.

eclipse_lunar_28jul2018_04.jpg
Aos poucos a Lua Cheia vai perdendo o tom avermelhado e voltando a ser uma Lua Cheia prateada (arquivo pessoal)

 

eclipse_lunar_28jul2018_05.jpg
O fenômeno progride e a Lua Cheia vai deixando o cone de umbra da Terra (arquivo pessoal)

 

eclipse_lunar_28jul2018_06.jpg
Agora falta pouco! A Lua Cheia tem só um pedacinho dentro do cone de umbra da Terra (arquivo pessoal)

 

E finalmente temos uma Lua Cheia quase normal. Ela ainda está dentro da penumbra da Terra. Mas já “recuperou” quase que totalmente o seu brilho natural. Daqui para frente, a olho nu, quase não percebemos diferença alguma.

eclipse_lunar_28jul2018_07.jpg
Fim da fase da totalidade. A Lua Cheia ainda está na penumbra da Terra. (arquivo pessoal)

Participação mais do que especial de Marte

eclipse_lunar_28jul2018_08_,Marte_Pico-Gaviao.jpg
Ainda está claro. Mas Marte, no canto superior direito, já brilhava intenso no céu (arquivo pessoal)

 

O dia ainda estava claro. A Lua Cheia não aparecia por conta das nuvens baixas. Mas Marte, um pouco acima da Lua, já havia vencido a camada de nuvens. O brilho, por conta da aproximação com a Terra, era tão intenso que, ainda com um pouco de luz solar, Marte já era bem visível.

O pontinho luminoso “colado” na serra é a iluminação artificial do Pico do Gavião, local que fica na divisa São Paulo/Minas Gerais e bastante conhecido pela rampa de decolagem para praticantes de voo livre e também por ser um local bastante alto do qual podemos ver de cima toda a região. Neste post publiquei uma foto da Lua Cheia nascendo por trás da serra há dois meses. Por pura sorte, cruzava o disco lunar um praticante de voo livre. Eu não o via pelo display da câmera. Mas sua silhueta saiu na foto.

Durante o eclipse, e por toda a noite, Marte foi um guardião da Lua, acompanhando-a bem de perto¹.

eclipse_lunar_27jul2018_anima_longe.gif
Animação: Lua e Marte ascendendo no céu. (arquivo pessoal)

 

Encerro este papo com uma foto especial que mostra a tão esperada cena da Lua Cheia avermelhada durante a totalidade do eclipse ao lado de Marte que é o planeta sempre vermelho-alaranjado.
eclipse_lunar_28jul2018_Lua-Marte.jpg
A Lua Cheia totalmente eclipsada e Marte (arquivo pessoal)

 

Gostou? Deixe seus comentários e divulgue este post para que mais pessoas possam ver as imagens deste lindo duplo fenômeno astronômico!


Para ver

  • Álbum do UOL mostrando o eclipse lunar ao redor do mundo

Hoje tem eclipse lunar total e máxima aproximação de Marte
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Hoje, 27 de julho, temos dois eventos astronômicos curiosos ocorrendo simultaneamente.

E o melhor: ambos podem ser observados a olho nu!

Siga as minhas dicas. E aproveite-os!

 

1. Eclipse Lunar Total

ec_lua_16ago2008_poster[1].jpg
Registro do eclipse lunar total de 16/08/2008, parecido com o de hoje (arquivo pessoal)

 

Quando a Lua Cheia mergulha no cone de penumbra da Terra iluminada pelo Sol, temos um eclipse lunar penumbral. O efeito prático é um ligeiro escurecimento da Lua Cheia sempre muito brilhante. A olho nu este fenômeno é muito difícil de ser percebido

Mas, se a Lua Cheia penetra por inteiro no cone de umbra (ou sombra) da Terra, o eclipse é total. É o que ocorrerá hoje. Este fenômeno é bem perceptível a olho nu e vale a pena ser observado. Quando apenas uma parte da Lua entra na umbra da Terra, o eclipse é parcial, menos interessante que o total mas, ainda assim, bonito de se ver.

Num eclipse lunar total vemos a Lua Cheia se apagando por uma das bordas, e escurecendo aos poucos, como se estivesses sendo “comida” pela beirada. No ápice do fenômeno, quando seria esperado que a Lua Cheia desaparecesse por completo ao mergulhar integralmente no cone de sombra da Terra, por um “capricho cósmico” ligado à atmosfera terrestre, um pouco de luz vermelha e alaranjada mergulha para dentro do cone de sombra que, portanto, deixa de ser sombra ao pé da letra e “tinge” a Lua Cheia tradicionalmente prateada de um tom vermelho tijolo bem característico. Confira o efeito nas diversas imagens aqui publicadas, todas de registros fotográficos que fiz de alguns eclipses lunares ao longo do tempo.

Certamente você vai ver/ouvir manchetes do tipo “Hoje tem eclipse lunar total com Lua de Sangue”. Em primeiro lugar, não tem nada de sangue. Esqueça a desnecessária dramaticidade. E aproveite a beleza do fenômeno astronômico que vai “tingir” a Lua Cheia de vermelho-alaranjando. Em segundo lugar, em qualquer eclipse lunar do tipo total a Lua Cheia fica avermelhada. Logo, é praticamente um pleonasmo astronômico dizer que teremos eclipse “E” a Lua vai ficar vermelha pois uma coisa leva à outra inequivocamente.

Hoje, aqui no Brasil, quando a Lua Cheia nascer, logo depois das 18h, o eclipse já terá começado. Terá, inclusive, atingido o seu ápice ou totalidade e a Lua Cheia (ainda com uma parte avermelhada/alaranjada) já estará saindo do cone de umbra. Veremos, portanto, boa parte da segunda metade do evento, o que já é muito bonito e instigante. Vai ser divertido acompanhar a transformação visual da Lua desde o seu nascimento já eclipsada até mais tarde quando voltará a ser a linda Lua Cheia prateada de sempre. O que poderemos observar será algo bem parecido com o eclipse lunar que registrei em 16/08/2008 quando a Lua Cheia já nasceu eclipsada. As imagens você confere lá no topo do post.

Veja abaixo uma didática animação de Larry Koehn do site shadowandsubstance.com que simula a passagem da Lua Cheia pela penumbra e pela umbra da Terra exatamente da forma como o fenômeno será visto hoje a partir do hemisfério sul terrestre. Mas, como eu já disse, dasqui do Brasil só veremos boa parte da segunda metade do fenômeno.

 

Anote aí: a parte observacional mais legal do fenômeno será do nascer da Lua Cheia (pouco depois das 18h) até por volta das 19h30min. Este é o período que você deve procurar pela Lua Cheia (horizonte leste) e tentar observar o fenômeno! Aproveite!

Para aguçar ainda mais a sua vontade de observar o fenômeno, abaixo você vê outro registro que fiz da primeira metade de um eclipse lunar total na madrugada de 21 dezembro de 2010, bem perto do Natal. Depois o Sol nasceu e, com o dia claro, não deu para ver a segunda parte do eclipse.

ec_l_21-dez-2010_poster_[1].jpg
Registro do eclipse lunar total na madrugada de 21/dez/2010 (arquivo pessoal)

Em 03/03/2007, com mais sorte, deu para registrar um eclipse lunar total do começo ao fim. O resultado você vê abaixo.

eclipse_mar2007_poster_hi[1].jpg
Registro completo do eclipse lunar total em 03/03/2007 (arquivo pessoal)

 

Se quiser aprofundar o tema eclipses lunares, neste post o fenômeno está bem detalhado.

2. Marte em aproximação com a Terra

Marte_25jul2018_edited.jpg
Registro astrofotográfico de Marte que fiz em 25 de julho deste ano. (arquivo pessoal)

 

O planeta Marte caminha para oposição, situação em que se encontra em relação à Terra do lado oposto do Sol. Na oposição um planeta nasce justamente no momento em que o Sol está se pondo. No caso da Terra e de Marte, na prática, no dia 31/julho, eles estarão em oposição e assim ficarão lado a lado em suas órbitas ao redor do Sol, o que significa que Marte estará em máxima aproximação com a Terra. Logo, estará visualmente maior e mais brilhante. Para observá-lo, é o melhor momento. Mas hoje, uns dias antes, assim como uns dias depois da oposição, a olho nu a diferença de tamanho e brilho aparentes de Marte é desprezível. Aproximações Terra-marte acontecem a cada 26 meses. Vamos aproveitar estes próximos dias!

Desde o mês passado venho observando Marte a olho nu e também com o telescópio. E a evolução no tamanho e no brilho aparentes do planeta é notável. Infelizmente, uma tempestade de areia (confira neste post) em escala planetária cobriu Marte com um verdadeiro véu de pó, prejudicando a observação de detalhes em sua superfície.

O mais legal de tudo é que Marte estará visualmente próximo da Lua Cheia, um pouco acima e para a direita dela. Assim, se você for observar o eclipse lunar, de brinde verá Marte.

Vai ser uma cena linda e inusitada: A Lua Cheia e parcialmente vermelha ao lado do sempre vermelho Marte.

Confira abaixo simulação que fiz para São João da Boa Vista, SP, minha cidade, mostrando a Lua Cheia eclipsada j(vermelha) mas já deixando a totalidade por volta da 18h30min e acompanhada de Marte em máxima aproximação com a Terra.

Lua_eclipse_Marte_oposicao_27jul2018.jpg
Lua e Marte por volta das 18h30min. Simulação com o software Stellarium

 

Mesmo depois do fim do eclipse lunar, você continuará vendo Marte visualmente próximo da Lua Cheia e poderá observá-lo ao longo de toda a noite. 

Deixe suas impressões pessoais sobre os fenômenos e suas próprias observações nos comentários!

BOAS OBSERVAÇÕES!


Este texto também foi publicado no Física na veia! (Steemit) neste link.

Para saber mais

  • Entrevista na rádio CBN com o prof. Paulo Bretones (UFSCar) sobre o eclipse lunar.

Já publicado no Física na veia! 


Fly me to the moon 2.0
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

O clarão do luar rompendo a noite por trás da serra

 

A Lua Cheia acaba de nascer aqui em São João da Boa Vista, interior de São Paulo.

Na imagem acima dá para ver o clarão do Luar rompendo o céu por trás da montanha. Na imagem abaixo a Lua já deu as caras. Linda, como sempre!

A Lua Cheia deu as caras

 

Com a câmera fixa num tripé, mandei um zoom óptico de 30X na Lua só para vê-la de pertinho. E vejam o que apareceu!

Dá para ver o paraglider diante do disco lunar?

 

Além da vegetação e das torres no topo da serra, dá para ver a silhueta de alguém (quem será?) que estava praticando voo livre nas montanhas?

Imediatamente lembrei-me da canção “Fly me to the moon” , de autoria de Tony Bennett, mas que ficou famosa na voz de Frank Sinatra. No refrão a canção diz:

 

“Fly me to the moon
And let me play among the stars
Let me see what spring is like
On Jupiter and Mars”

 

Incrível coincidência! Parece que o aprendiz de Ícaro, com seu paraglider, quer mesmo voar até a Lua. Júpiter já está alto no céu. E Marte nasce logo mais! Só não estamos na primavera (spring). Então, com devido respeito ao autor da canção, permito-me editar a letra, criando o Fly me to the moon 2.0. Pode ser?

 

“Fly me to the moon
And let me play among the stars
Let me see what spring autumn is like
On Jupiter and Mars”

 

E não venha me dizer que o flagra foi sorte! No máximo foi coincidência. Sempre observo a Lua. Estou sempre olhando para o céu. Só quem olha para o céu consegue algo assim. Logo, se “sorte” eu tive foi só porque nela eu acredito! Ou, em outras palavras, não foi ela quem correu atrás de mim, fui eu quem fui voando em busca dela! Esta é uma lição que aprendi muito cedo na vida!


Este post também está publicado no Física na Veia! (Steemit), de minha autoria, neste link

 


Lua Cheia no perigeu? Superlua, agora!
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Sequência da Superlua Azul nascendo por trás da serra em São João da Boa Vista, SP

 

As imagens acima registram o nascer da Lua Cheia por trás da serra por volta das 20h20min de hoje. Mas não é uma Lua Cheia qualquer. Trata-se de uma “coincidência” de três fenômenos astronômicos. Explico, a seguir.

Superlua

A órbita da Lua ao redor da Terra não é circular, é elíptica. Sendo assim, a distância Terra-Lua varia. A Lua pode passar mais perto ou mais longe da Terra. Quando passa mais perto, nos parece maior. E, quando a acontece a coincidência de uma Lua Cheia (com a face voltada para a Terra 100% iluminada) passar pelo perigeu, ponto de máxima aproximação com o nosso planeta, temos uma Lua Cheia ligeiramente maior do que a média. E também mais brilhante. É o que vem sendo chamado de Superlua, termo que, para os astrônomos mais conservadores, é exagerado.

Concordo. Mas devo dizer que gosto da ideia de que o termo chama a atenção das pessoas para o fenômeno, excelente oportunidade para ensinarmos o que é correto. Mas também agita a mídia que, para a felicidade de quem curte Ciência e pratica divulgação científica, aborda o tema de maneira extensiva. Porém, há que se pontuar que a mídia, na média, também é mestre em propagar bobagens. Hoje, infelizmente, já vi/li/ouvi algumas ao longo do dia.

Hoje a Lua Cheia está passando próxima do perigeu. Logo, é Superlua. Já abordei o tema aqui no blog inúmeras vezes. Para não ser repetitivo, mas aproveitando nova ocorrência do fenômeno, deixo lá embaixo links caso você queira se aprofundar este tema e notros ligados à Lua. Destaco, em especial, este post no qual faço estimativas do aumento do diâmetro aparente e do brilho lunar numa passagem da Lua Cheia pelo perigeu em comparação com sua passagem no apogeu, ponto de máximo afastamento da Terra.

Lua Azul

Devo destaca ainda que a Lua Cheia de hoje é a segunda Lua Cheia num mesmo mês, o que é conhecido como Lua Azul. A primeira Lua Cheia do mês de janeiro (e do ano de 2018) foi no dia 01, registrada aqui neste post.

Temos, portanto, uma Superlua Azul. Mas não espere que a Lua vá mudar de cor. É apenas um rótulo que nada tem a ver com a realidade visual do nosso querido satélite natural.

Eclipse Lunar Total

Vale destacar também que, por muita coincidência, tivemos neste dia de Superlua Azul um eclipse lunar total, infelizmente não visível daqui do Brasil (ele aconteceu no período da manhã pelo horário de Brasília).

Em todo eclipse lunar total a Lua Cheia, durante a totalidade, em vez de desaparecer, fica avermelhada, assumindo um tom “vermelho tijolo”. Algumas pessoas, especialmente as mais místicas e menos científicas, chamam o fenômeno de Lua sangrenta. Aí já é demais!

Há explicação científica e relativamente simples para o fato que, de místico, nada tem. Se quiser saber mais sobre o tema, deixo este outro post como dica de leitura.

Observe!

Como sempre vale a pena observar a Lua Cheia, aproveite a oportunidade! Bote a cara pra fora e veja a Lua Cheia de hoje. Aqui no interior de São Paulo ela está linda!

Depois de um mês de chuva, o céu finalmente limpou. E a Superlua Azul impera imponte como um farol sobre a serra e em contraste com as luzes do meu bairro. Confira na imagem abaixo.

Foto com exposição de 5 segundos para evidenciar o luar “turbinado” da Superlua em comparação com as luzes do meu bairro

Boas Observações! 


Confira, abaixo, timelapse da Superlua nascendo por trás da serra em 01/janeiro/2018, a primeira Lua Cheia deste ano.

Se não estiver visualizando a imagem (animação) acima, clique neste link.


Para ver


Já publicado no Física na Veia!


Lua Cheia do Ano Novo (Superlua)
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Lua Cheia nascendo por trás da serra em São João da Boa Vista, SP.

 

Acaba de nascer a primeira Lua Cheia do ano de 2018.

E ela está caminhando para o perigeu, ponto da sua trajetória em torno da Terra de máxima aproximação com o nosso planeta. Isso quer dizer que em poucas horas ela estará em sua máxima aproximação com a Terra, fenômeno que tem sido chamado de Superlua.

O termo Superlua é um tanto quanto exagerado. Entre o apogeu, ponto de máximo afastamento com a Terra, e o perigeu, ponto de máxima aproximação, a Lua Cheia varia cerca de 14% em tamanho aparente e 30% em brilho aparente (veja cálculos em detalhes neste post). Difícil perceber tal diferença no “olhômetro”! A Lua Cheia não estará tão maior do que a média. Mas o luar, a luz do Sol refletida pela Lua e que atinge a Terra, estará de fato “turbinado”. Se você estiver num lugar bem escuro, longe das luzes da cidade, vai notar que o luar será capaz de iluminar a paisagem ao seu redor.

De qualquer forma, observe a Lua Cheia hoje (e sempre que puder). Olhar a Lua, bem como qualquer astro, mesmo a olho nu, é sempre uma experiência ímpar.

Clique nos links abaixo para ver animação da Lua Cheia nascendo por trás da serra aqui em São João da Boa Vista, interior de São Paulo:

Apesar do meu tripé manco, até que ficou bom!

Câmera no tripé (manco), aguardando o nascer da Lua Cheia

 

Curiosidade 1: a trilogia das Superluas

Tivemos Lua Cheia no perigeu (ou Superlua) há praticamente um mês, no dia 3 de dezembro de 2017. Confira aqui.

Temos Lua Cheia no perigeu hoje. E ainda teremos outra no dia 31 de janeiro de 2018.

Esta segunda Lua Cheia que acontece num mesmo mês é também conhecida como Blue Moon. Mas trata-se apenas de um nome. A Lua Cheia não ficará azul. Na verdade ficará vermelha, “cor de tijolo”, mas somente para alguns observadores privilegiados. Isso porque haverá um eclipse lunar total ocorrendo exatamente na Lua Cheia passando pelo perigeu. Haja coincidências! Infelizmente, o eclipse lunar não será visível daqui do Brasil.

 

Curiosidade 2: o teste do dedo indicador

Se você esticar o braço e levantar o dedo indicador, para o seu olho, a largura aparente do dedo terá praticamente 1,0 grau. Varia de pessoa para pessoa, claro. Mas o valor gira em torno de 1,0 grau.

A Lua Cheia tem diâmetro angular aparente de cerca de 0,5 grau. Logo, o dedo indicador, nesta situação, consegue cobrir duas Luas Cheias.

Não acredita? Faça o teste!


Já publicado no Física na veia! 


Superlua, agora!
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Superlua sobre o meu bairro, em São João da Boa Vista, interior de São Paulo, Brasil.

No post anterior anunciei que hoje teríamos Lua Cheia no perigeu, uma Lua Cheia especial, mais próxima da Terra, e por isso mesmo “turbinada”, maior e mais brilhante, fenômeno que tem sido chamado de Superlua.

Como previsto, céu nublado por aqui. Até desanimei de montar o telescópio para fazer uma live da Superlua.

Mas deu uma brecha e a Lua apareceu. Fiz algumas astrofotos só com a câmera digital no tripé.

O farol lunar em close. Note que a Lua está brigando com as nuvens.

Se você estiver num local de céu aberto e limpo, observe a Lua. Ela está ligeiramente maior mas sensivelmente mais brilhante. O tamanho maior é difícil de perceber a olho nu. Mas o luar “turbinado” dá para notar, especialmente se você estiver longe das luzes da cidade. A Lua vai iluminar o cenário!

Uma foto da Superlua com zoom máximo (30X) da câmera digital.

Para saber mais sobre o fenômeno das Superlua, veja o post anterior, onde destaco as três Superluas que vão acontecer entre hoje e o final de janeiro do ano que vem. Se quiser se aprofundar ainda mais, indico este outro post de 2016 onde disseco o tema.

BOAS OBSERVAÇÕES!


Já publicado no Física na Veia!

(*) posts na plataforma antiga do blog

E veja abaixo link para um post onde ensino como fazer um mosaico lunar usando webcam acoplada ao telescópio:


Fanpage do blog

Você conhece a fanpage do Física na veia no Facebook? Já curtiu? Está seguindo? Não?

O que está esperando? Facebook.com/FísicaNaVeia.

Todo dia tem novidades de Física e Astronomia. E através dela você sempre fica sabendo primeiro dos posts publicados por aqui!


Teste o tamanho da Lua com o dedo indicador
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Teste_do_Dedo_inf

Se você esticar o braço e levantar o dedo indicador, para o seu olho, a largura aparente do dedo terá praticamente 1,0 grau. Varia de pessoa para pessoa, claro. Mas o valor gira em torno de 1,0 grau.

A Lua Cheia tem diâmetro angular aparente médio de 0,5 grau.

Logo, com apenas um dedo indicador você deve conseguir cobrir a Lua Cheia com folga. A rigor, conseguiria cobrir duas Luas Cheias encostadas lado a lado.

Não acredita? Experimente! Faça você mesmo!

Aproveite que hoje a Lua Cheia ainda é (praticamente) uma Superlua. Ontem ela estava quase 100% iluminada. Hoje está 96,5%. Ontem ela estava a 356000 km da Terra e hoje está a 358000 km. De ontem para hoje, no “olhômetro”, não há diferença alguma!

Sempre que você estiver observando a Lua e ela parecer estar enorme, faça o teste do dedo indicador. É infalível! Não existe Lua Cheia enorme, gigante, nem mesmo durante uma Superlua. Se a Lua parece enorme, tenha certeza: é ilusão de Óptica. E o culpado é o seu cérebro. Veja o post anterior sobre o fenômeno da Superlua onde explico, dentre outras coisas, essa ilusão bastante comum.

Depois que você mesmo fizer o teste, ensine seus amigos a fazerem também. O teste é simples. Mas de resultado surpreende.

Deixe seu cometário aqui no blog.

Boas observações!

Vou postar abaixo algumas fotos que acabei de fazer da (quase) Superlua, 24 h depois.

 

Lua cheia (quase Superlua) em 15/novembro/2016

Lua_Cheia_15nov2016_01

Lua Cheia nascendo sobre as luzes do meu bairro

 

Lua_Cheia_15nov2016_02

Lua Cheia, ao nascer, agora em close


 

Já publicado no Física na Veia!


Por que o Carnaval acontece tão cedo em 2016?
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Lua&Carnaval

É científico! A Lua Cheia influencia o Carnaval!

 

Em 2011 a terça-feira de Carnaval foi em 8 de março. Em 2015 caiu em 17 de fevereiro, bem mais cedo. Mas agora em 2016 a terça de Carnaval acontece ainda mais cedo, no próximo dia 9 de fevereiro.

Você sabe porque a data do Carnaval muda a cada ano? E por que o Carnaval acontecerá tão cedo em 2016?

Tudo gira em torno da data da Páscoa que, de uma forma mais moderna, é obtida pela seguinte regra astronômica:

“A Páscoa acontece sempre no primeiro domingo depois da primeira Lua Cheia que ocorrer a partir do dia 21 de março”.

Note que 21 de março é a data aproximada do equinócio (de outono, no hemisfério sul, ou de primavera, no hemisfério norte).

Para descobrir a data da terça-feira de Carnaval, basta seguir os passos descritos abaixo.

 

Quatro passos para calcular a data da terça de Carnaval

1° passo: Procure no calendário o dia 21 de março, data aproximada do equinócio. Em 2016 é uma segunda-feira.

2° passo: Consulte um calendário lunar confiável para descobrir em que dia vai acontecer a primeira Lua Cheia depois de 21 de março Em 2016, a primeira Lua Cheia depois de 21 de março acontece dois dias depois, logo no dia 23 de março, quarta-feira.

3° passo: Encontre o primeiro domingo depois dessa primeira Lua Cheia após 21 de março. Em 2016 é o dia 27 de março. Você acaba de descobrir a data da domingo de Páscoa. E é claro que um dia antes da Páscoa é o Sábado de Aleluia e dois dias antes a Sexta-Feira da Paixão.

4° passo: A terça-feira de Carnaval acontece exatamente 47 dias antes do domingo de Páscoa.

Confira, no calendário abaixo, o resultado dos quatro passos descritos acima. E descubra porque a terça-feira de Carnaval em 2016 cai em 9 de fevereiro, tão cedo!

Data__Carnaval__2016

Calendário de 2016, organizado de segunda a domingo, e os quatro passos para encontrar a data da
terça-feira de Carnaval. Clique para abrir versão maior noutra janela.

 

Deu para entender a ideia? Todo ano é sempre assim. Você encontra a data do domingo de Páscoa (pela regra astronômica destacada em vermelho logo acima) e retrocede 47 dias no calendário para achar a terça-feira de Carnaval. Simples!

Em anos em que a primeira Lua Cheia depois do equinócio acontece mais tarde em relação ao dia 21 de março, a Páscoa é “empurrada” para frente no calendário. E pode ocorrer em março e até mesmo em abril. Junto com ela vai o Carnaval que acaba acontecendo também mais adiante, muitas vezes em março. Em 2016 a primeira Lua Cheia depois de 21 de março acontece bem cedo! Logo, a Páscoa também acontece mais cedo, trazendo consigo todas as outras datas móveis, forçando o Carnaval a acontecer mais cedo, logo no começo de fevereiro.

A tabela abaixo mostra diversas datas móveis e como encontrá-las a partir da data da Páscoa.

Tabela_datas_moveis

 

Corpus Christi  é um feriado bem tradicional no Brasil. Ele sempre acontece 60 dias depois do domingo de Páscoa. E, 60 dias depois de um domingo, é sempre uma quinta-feira. É costume emendarmos quinta, sexta, sábado e domingo, num feriadão prolongado. Em 2016 (pode contar os dias no calendário) Corpus Christi cai em 26 de maio.

Há alguns anos publiquei (ainda na plataforma antiga do blog) uma calculadora on line que descobre, apenas a partir do ano, as datas da terça-feira de Carnaval, do domingo de Páscoa e de Corpus Christi. Se estiver com preguiça de fazer as contas na mão, ela será útil!

Viu como a Astronomia, que tem a ver com Física, também tem tudo a ver até com o Carnaval? É que Física tem a ver com tudo! Certo?

 

Show de planetas nas madrugadas de Carnaval

Por falar em Astronomia e Carnaval, não perca durante o Carnaval o show de astros nas madrugadas. Cinco planetas (Mercúrio, Vênus, Marte, Saturno e Júpiter) estarão visualmente enfileirados no céu. Se ficar acordado até as madrugadas durantes o Carnaval, depois da folia, vale relaxar olhando para o céu e vendo os planetas. Confira abaixo a belíssima imagem feita por Denis Crute em 2 de fevereiro na Austrália. Ele mostra os quatro planetas no fila aparente, quase fazendo pose pra foto.

Denis_Crute_Australia_2fev2016_5planetas

5 planetas antes do Sol nascer (e mais a Lua). Denis Crute (fonte: Spaceweather)

Eu adorei essa foto. E você? Veja-a aqui em maior resolução.

Vou tentar observar/fotografar os planetas nas próximas madrugadas. Se conseguir, posto por aqui.


Já publicado no Física na Veia!

(*) post publicado na plataforma antiga do blog

 


Feliz Natal… com Lua Cheia!
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Feliz_Natal_2015_Lua-Cheia

Montagem feita sobre imagem obtida na web. A Lua Cheia (bola extra na árvore de Natal) foi
criada a partir de belíssima imagem da Lua feita pela sonda LRO – Lunar Reconnaissance Orbiter que
pertence ao acervo NASA/Goddard e que você pode ver em alta resolução ilustrando o texto da NASA
indicado no post.

 

Hoje, 24 de dezembro, véspera de Natal, a Lua vai nascer por volta das 19h (horário de Brasília). E estará com a face voltada para a Terra iluminada pelo Sol.

Isso quer dizer que, quando chegar meia noite, teremos Natal com Lua Cheia!

Segundo a NASA (veja texto original, em inglês), a coincidência é rara. A última noite de Natal com Lua Cheia aconteceu há 38 anos, em 1977. E só voltará a se repetir em 2034.

Coloque a Lua Cheia como bola extra para iluminar ainda mais a sua árvore natalina!

 

FELIZ NATAL!


Já publicado no Física na Veia!

* posts publicados na plataforma antiga do blog

Blue Moon! Hoje a lua vai ficar azul?
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Blue_Moon

Lua Cheia fotografada por mim em 6 de março de 2012. Mas não se engane: o tom azulado foi obtido por tratamento no computador!

 

Muita gente comentando que hoje tem Blue Moon. E é verdade!

Mas não se iluda: o nosso satélite natural NÃO SERÁ VISTO EM TONS DE AZUL! Não existe nenhuma razão física especial para que isso aconteça!

Hoje é mais um dia de Lua Cheia. E Luas Cheias são sempre lindas. Inspiradoras. O fato curioso é que teremos a segunda Lua Cheia dentro do mesmo mês. Tivemos uma Lua Cheia em 2 de julho e teremos outra hoje, dia 31 de julho, como podemos conferir no calendário lunar abaixo.

calendario_lunar_julho_2015

Print do Calendário Lunar hospedado em www.moonconnection.com.

 

Blue Moon é somente uma expressão criada para designar a ocorrência da segunda Lua Cheia dentro de um mesmo mês. Logo, não tem nada a ver com a cor do astro que continua sendo iluminado pela luz branca solar, composta por todas as cores do espectro visível.

Portanto, com base na boa Física, garanto que hoje a Lua Cheia vai ter cor de Lua Cheia! Mas vale lembrar que a órbita da Lua ao redor da Terra é elíptica, com a Terra num dos focos. Logo, a distância Terra-Lua pode variar.  E por volta da 1h da madrugada (já do sábado, 1 de agosto) a Lua passará pelo perigeo, ponto de máxima aproximação com a Terra. Dessa forma, teremos uma Lua Cheia bastante brilhante e ligeiramente maior do que a média, o que vai garantir um luar dos bons!

Vale a observação? Vale! Sempre vale a pena olhar pro céu! Mas com os pés no chão, sempre ancorados na boa Ciência. Nada de acreditar em Lua azulada ao pé da letra. Certo?

Vou observar/fotografar a segunda Lua Cheia do mês de julho nascendo daqui da janela do meu apartamento, de frente pra serra, em São João da Boa Vista, interior de São Paulo. O espetáculo começa por volta das 18h10min. Posto os registros fotográficos mais tarde, na galeria abaixo. Combinado?

Observe você também. E depois vem contar aqui no blog como foi a sua experiência com a Blue Moon.

O UOL vai montar um álbum especial com melhores imagens da Blue Moon feitas pelos internautas. Participe! Envie para o Whatsapp da redação do UOL Notícias. O número é  (11) 97500-1925.

Eclipse Lunar Total: contagem regressiva

ec_l_21-dez-2010_poster

Resultado da cobertura do eclipse lunar total de 21 de dezembro de 2010 feita aqui no blog. Clique para
abrir versão em maior resolução.

Fica aqui, desde já, o convite para você leitor do blog: eclipse lunar total em 27 de setembro de 2015.

Vamos armar uma enorme observação astronômica coletiva via web? Em breve posto mais informações.

Já fiz outra coberturas de eclipses lunares aqui no blog. Confira uma delas aqui. Foi sempre muito divertido!

 


Galeria da Lua Cheia de 31 de julho de 2015 [Blue Moon]

Blue Moon nascendo por trás da serra, por volta das 18h30min. Nem azul nem prateada. Amarelada. Efeito da poluição atmosférica. Quando estiver mais alta no céu ficará prateada, como sempre.

Blue_Moon_31jul2015_01

Lua Cheia nascendo por trás da serra. Clique para abrir versão maior.

Blue_Moon_31jul2015_02

Lua Cheia nascendo por trás da serra. Clique para abrir versão maior.

Blue_Moon_31jul2015_03

Lua Cheia nascendo por trás da serra. Clique para abrir versão maior.

Blue_Moon_31jul2015_04

Lua Cheia nascendo por trás da serra. Clique para abrir versão maior.

Blue_Moon_31jul2015_05

Lua Cheia já mais alta no céu, agora com zoom máximo da câmera.

Já um pouco mais alta, a cor amarelada da Lua Cheia vai desaparecendo, como esperado.

 

Ajustei a câmera para mostrar a intensidade do luar que “desenha” o perfil da serra. “Matei” o relevo lunar. Mas consegui registrar a Lua Cheia parecendo um farol, iluminando todo o meu bairro!

 

Blue_Moon_31jul2015_06

Que luar intenso. Lindo! Veja como ele “desenha” a serra. Clique para abrir versão maior.

Parafraseando Catulo da Paixão Cearense e João Pernambuco na tradicional canção “Luar do Sertão”, só posso dizer:

“Não há, ó gente, ó não,

Luar como esse de São João!”

Agora que mostrei como está o luar aqui na minha terra, diga aí como está na sua!

Confira abaixo uma animação com 12 imagens das Lua Cheia nascendo por trás da serra.


Álbum do UOL

  • Blue Moon pelo mundo todo, inclusive no Brasil

 

Já pulicado no Física na Veia!

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>