Física na Veia!

Arquivo : Logitech C270

Júpiter visível logo ao entardecer. E tem Saturno e Marte também!
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

O céu de ontem em São João da Boa Vista, interior de São Paulo. Júpiter é o ponto mais brilhante lá no
topo da imagem. Clique para abrir imagem maior. (Crédito: Dulcidio Braz Jr)

 

Ontem, sábado, 21/4, aproveitei que o céu abriu para fazer observações astronômicas e registros astrofotográficos. Eu já estava quase sofrendo de síndrome de abstinência com tanto céu ruim nos últimos meses e o telescópio encaixotado!

A imagem acima mostra o céu leste capturado daqui de São João da Boa Vista, SP, por volta das 22h. O ponto mais brilhante lá no topo é o gigante Júpiter. A captura foi feita com uma câmera digital Sony HX100V fixa num tripé. Usei exposição de 10 s, com abertura f2.8 e ISO 400 para registrar o fundo de estrelas no céu e Júpiter que, a olho nu, também tem aparência estelar.

Abaixo, sobre a mesma imagem, destaco captura de Júpiter que fiz com o telescópio SkyWatcher Star Discovery 150 mm F5 usando uma webcam Logitech C270 acoplada diretamente no porta ocular. A GMV (grande mancha vermelha), um tornado com ventos de cerca de 600 km/h que já dura séculos e tem o tamanho de quase duas Terras¹, estava voltada para nós e, para minha felicidade, ficou nítida na imagem. Capturei Júpiter em avi com o software SharpCap. Fiz o pré-processamento com o PIPP (Planetary Image PreProcessor). Em seguida, empilhei com o AS2! (AutoStakkert) e apliquei wavelets com o Registax. A técnica está descrita neste post.

 

Em destaque, captura de Júpiter que fiz com telescópio.  E a belíssima constelação de Escorpião, logo
abaixo, com sua cauda bem característica.  Clique para abrir imagem maior. (Crédito: Dulcidio Braz Jr)

 

Júpiter está atualmente na constelação de Libra. Logo abaixo podemos ver claramente a constelação de Escorpião com a sua cauda bem característica que lembra um anzol (bem sobre a logomarca do blog). Clique nas imagens para abrir as fotos em tamanho maior para perceber melhor os detalhes.

Destaquei também alfa de Escorpião, a estrela Antares, uma supergigante vermelha com aproximadamente 883 vezes o diâmetro do nosso Sol e 15 vezes a sua massa. Tá bom pra você? Mais fria que o nosso Sol, Antares tem temperatura em torno de 3500 K e justamente por ser mais fria (ou menos quente, se preferir) tem brilho superficial avermelhado. Antares, mais velha do que o Sol, tem idade estimada em 8 milhões de anos. E está distante de nós cerca de  600 anos-luz, o que vale a observação de que a captura foi feita ontem mas registramos uma imagem de 600 anos atrás, exatamente o tempo que a luz demorou para viajar de Antares até o sensor da câmera aqui na Terra! Mesmo assim, por ser gigantesca, Antares é a décima sexta estrela mais brilhante do nosso céu. Linda de observar, tem aparência alaranjada, mesmo a olho nu. Mas você tem que estar num lugar bem escuro para que ocorra acomodação visual.

 

Júpiter, Saturno e Marte fazendo pose pra foto

Júpiter, atualmente, já está visível no horizonte leste logo ao entardecer, por volta das 19h. Saturno está nascendo também a leste em torno de 22h15min. Marte vem logo depois, mais ou menos meia hora após Saturno.

Ontem eu pretendia capturar os três planetas que, caprichosamente, parecem fazer pose pra foto. No entanto, logo após as capturas de Júpiter, o céu fechou. Aguardei ainda por uma hora e nada. Uma pena!

No próximo final de semana vou tentar novas observações e, quem sabe, com mais sorte, registrar também Saturno e Marte.


1 – Estudos recentes mostram que a GMV está encolhendo. Ela já foi maior do que duas Terras.

Já publicado no Física na Veia!


Fanpage do blog

Você conhece a fanpage do Física na veia no Facebook? Já curtiu? Está seguindo? Não?

O que está esperando? Facebook.com/FísicaNaVeia.

Todo dia tem novidades de Física e Astronomia. E através dela você sempre fica sabendo primeiro dos posts publicados por aqui!


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>