Física na Veia!

Arquivo : Fly me to the moon

Fly me to the moon 2.0
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

O clarão do luar rompendo a noite por trás da serra

 

A Lua Cheia acaba de nascer aqui em São João da Boa Vista, interior de São Paulo.

Na imagem acima dá para ver o clarão do Luar rompendo o céu por trás da montanha. Na imagem abaixo a Lua já deu as caras. Linda, como sempre!

A Lua Cheia deu as caras

 

Com a câmera fixa num tripé, mandei um zoom óptico de 30X na Lua só para vê-la de pertinho. E vejam o que apareceu!

Dá para ver o paraglider diante do disco lunar?

 

Além da vegetação e das torres no topo da serra, dá para ver a silhueta de alguém (quem será?) que estava praticando voo livre nas montanhas?

Imediatamente lembrei-me da canção “Fly me to the moon” , de autoria de Tony Bennett, mas que ficou famosa na voz de Frank Sinatra. No refrão a canção diz:

 

“Fly me to the moon
And let me play among the stars
Let me see what spring is like
On Jupiter and Mars”

 

Incrível coincidência! Parece que o aprendiz de Ícaro, com seu paraglider, quer mesmo voar até a Lua. Júpiter já está alto no céu. E Marte nasce logo mais! Só não estamos na primavera (spring). Então, com devido respeito ao autor da canção, permito-me editar a letra, criando o Fly me to the moon 2.0. Pode ser?

 

“Fly me to the moon
And let me play among the stars
Let me see what spring autumn is like
On Jupiter and Mars”

 

E não venha me dizer que o flagra foi sorte! No máximo foi coincidência. Sempre observo a Lua. Estou sempre olhando para o céu. Só quem olha para o céu consegue algo assim. Logo, se “sorte” eu tive foi só porque nela eu acredito! Ou, em outras palavras, não foi ela quem correu atrás de mim, fui eu quem fui voando em busca dela! Esta é uma lição que aprendi muito cedo na vida!


Este post também está publicado no Física na Veia! (Steemit), de minha autoria, neste link

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>