Física na Veia!

Imponderabilidade? Ponto pro Bial!

Prof. Dulcidio Braz Júnior

''Conversa com Bial'' apresentado no dia 12 de junho [Fonte: Globo Play]

Na última segunda-feira, 12 de junho, foi ao ar na Rede Globo o programa ''Conversa com Bial'' que entrevistou Marcos Pontes, conhecido (e pioneiro) astronauta brasileiro, e Salvador Nogueira, super competente jornalista científico da Folha de São Paulo, caro amigo, e vizinho da blogosfera do UOL Ciência que mantém o blog ''Mensageiro Sideral''. O programa contou ainda com a participação de João Paulo Guerra Barrera, brasileiro de apenas 7 anos de idade que foi vencedor de um concurso literário internacional da NASA – Agência Espacial Americana.

O programa passa tarde, sempre depois da meia-noite. Na terça-feira caio da cama por volta das 5h30min para viajar e lecionar o dia todo em Poços de Caldas, MG, 45 km de São João da Boa Vista, SP, minha cidade . Não consegui assistir ao programa na TV. Mas vi depois, no meio da semana, pelo Globo Play. E fiquei muito feliz com a qualidade das informações, especialmente por serem veiculadas num canal de TV aberta! Coisa rara aqui no Brasil! Já divulguei a entrevista nas redes sociais e também para meus alunos. E agora indico para vocês amigos leitores daqui do blog. Imperdível!

Pedro Bial mostrou-se muito bem preparado para o tema. Marcos Pontes e Salvador Nogueira, profissionais de alto nível, contribuíram para a qualidade das informações subir ao máximo! Se você não viu, tem que ver! Este é o link pro vídeo.

E devo confessar que quase caí da poltrona quando Bial, elegantemente, citou o termo imponderabilidade para referir-se à situação em que se tem a sensação de gravidade zero num ambiente com gravidade não nula. As imagens mostravam Marcos Pontes ''amarrado'', fazendo exercícios físicos dentro da ISS – International Space Station, quando Bial comentou que Pontes precisavas ficar atado à nave por conta da imponderabilidade! Confira você mesmo, exatamente aos 5:49.

Como físico, professor e maluco por divulgação científica, devo observar que qualquer pessoa orbitando a Terra sente-se como se estivesse dentro de um elevador em queda livre. Toda órbita, no fundo, é uma ''queda livre infinita'' porque, ao mesmo tempo em que a nave cai, ela se move para frente com velocidade e altitude tais que, combinadas, geram uma ''coincidência geométrica'': a  nave cai de forma a acompanhar a curvatura da Terra. Em outras palavras, a nave e seus ocupantes caem mas nunca tocam o chão. Daí o uso acima da expressão ''queda livre infinita''. Assim, dentro da ISS, os astronautas flutuam somente em relação à nave. Mas nave e astronautas despencam com a mesma aceleração que equivale à própria aceleração da gravidade (g) naquela altitude. Como não há movimento relativo nave-astronautas, eles se sentem flutuando, como se estivessem sem peso. O nome fisicamente correto para tal situação é imponderabilidade, como muito bem dito por Bial! E a palavra representa a impossibilidade física de ponderar a massa (ou peso) de um corpo usando uma balança (ou dinamômetro) de molas. A tal balança, a bordo da nave, também estaria caindo com a mesma aceleração da nave e dos astronautas, tornando o experimento de ''pesagem'' impossível. Ao contrário do que 99,99% das pessoas acreditam e afirmam, a gravidade lá na nave, mesmo em pleno espaço, está longe de ser nula. Ela sequer é pequena! Vale algo em torno de 8,6 m/s² contra os 9,8 m/s² aqui na superfície do planeta Terra. Fiz o cálculo neste post, ainda na plataforma antiga do blog, onde também explico a razão física pela qual, orbitando o planeta, nos sentimos sem peso e parecemos flutuar.

Ficou interessado em aprofundar o assunto? Confere o post ''antigo'' mas com tema atemporal. Mas, se me der a honra de deixar seu comentário, faça-o por aqui. Os comentários, na plataforma antiga que agora é apenas um arquivo do passado do blog, não são mais moderados/respondidos. Por aqui estão mais do que vivos, depois de um período de problemas técnicos já resolvidos pela turma de TI do UOL!

 

 Lázaro Ramos e Glória Maria já ''erraram'' no mesmo tema que Bial ''gabaritou''

Lázaro Ramos, Gloria Maria e Pedro Bial

No programa Fantástico, de 2 de outubro de 2005, Lázaro Ramos, ator, passou pela experiência de ''flutuar'' a bordo de um avião usado para simular a mesma sensação de gravidade zero que se tem a bordo de uma nave orbitando a Terra. Infelizmente, a matéria continha erros ou, para não ser tão rigoroso (ou professor chato), imprecisões grosseiras sobre o tema. Registrei o episódio neste post.

No mesmo Fantástico, pouco tempo depois, em 25 de fevereiro de 2007, a repórter Glória Maria perdeu a chance de fazer uma matéria impecável. E, no mesmo experimento a bordo de um avião que simula os efeitos da imponderabilidade, repetiu os erros de Ramos. O episódio também virou post aqui no blog.

Mas Pedro Bial lavou a alma de todos. Fez uma entrevista histórica! Impecável! Ponto pra ele! Ponto pra todos nós que gostamos de Ciência e sonhamos com um jornalismo científico bem feito e que eleve o nível da divulgação científica aqui no Brasil e, por que não dizer, no mundo todo.


Já publicado no Física na Veia!

(*) post na plataforma antiga do blog