Física na Veia!

Arquivo : março 2016

Júpiter “coladinho” na Lua agora!
Comentários 11

Prof. Dulcidio Braz Júnior

A Lua Crescente (quase Cheia e o planeta Júpiter mais abaixo

A Lua Crescente (quase Cheia) e o planeta Júpiter (pontinho) mais abaixo

 

Júpiter está bem brilhante por esses dias. É que ele e a Terra estão do mesmo lado em relação ao Sol. Assim, além de estar mais perto da Terra, o gigante gasoso fica iluminado diretamente pelo Sol que está às nossas costas.

E hoje, particularmente, o show está ainda melhor. Júpiter, visualmente, está bem perto da Lua Crescente (quase Cheia). Veja logo acima o registro fotográfico que acabei de fazer.

Você não está vendo essa cena ao vivo? Bota a cabeça pra fora da janela e espia! Imperdível!

Confira, na imagem abaixo, simulação (propositalmente fora de escala) da posição dos astros no Sistema Solar hoje. Ela foi feita on line no SolarSystemScope.com e nos ajuda a entender a cena astronômica que registrei fotograficamente (e você pode ver ao vivo, agora) a partir da Terra.

Simulação das posições reais dos astros do Sistema Solar agora

Simulação (fora de escala) das posições reais dos astros do Sistema Solar agora, no momento da publicação do post.

 

Boas observações!

Depois deixe o seu comentário nos contando se conseguiu observar Júpiter “coladinho” na Lua Crescente.


Já publicado no Física na veia!

(*) post publicado na plataforma antiga do blog

Primeiro dia de outono
Comentários Comente

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Equinocio_outono_2016

Sol nascendo hoje, 20 de março, equinócio de outono, em São João da Boa Vista, interior de SP

 

Quer ver o Sol nascer? Olhe para leste. Certo? Quase.

O Sol não nasce exatamente no ponto cardeal leste mas ao redor dele, dependendo da época do ano. Somente em dois dias do ano, chamados equinócios, o Sol nasce exatamente no leste.

Hoje, equinócio de outono (no hemisfério sul) ou de primavera (no hemisfério norte) o Sol nasceu exatamente no ponto cardeal leste. A foto acima registra o nascer do Sol por trás da serra aqui em São João da Boa Vista, interior de São Paulo, Brasil, alguns minutos depois das 6 h. O Sol apontou no horizonte exatamente no ponto cardeal leste.

A partir de agora, até o solstício de inverno que ocorre em junho e marca o início do inverno no hemisfério sul, o Sol vai nascer cada vez mais para a esquerda do ponto cardeal leste (a rigor, mais para o norte). O Sol fará seu movimento aparente indo cada vez mais para o norte, para aquecer o hemisfério norte da Terra (onde vai acontecer o verão) e esfriar o hemisfério Sul do planeta (onde teremos inverno).

Depois do solstício, o Sol retorna cada vez mais para leste e em setembro volta a nascer exatamente no ponto cardeal leste, noutro equinócio (de primavera no hemisfério sul e de outono no hemisfério norte). E daí para frente faz seu movimento aparente nascendo cada vez mais para a direita do ponto cardeal leste (a rigor, para o sul), até o solstício de verão (no hemisfério sul) ou de inverno (no hemisfério norte).

A imagem abaixo resume o movimento aparente do Sol nascente ao longo de um ano a partir de hoje, 20 de março de 2016, equinócio de outono no hemisfério sul, até o próximo equinócio de outono, no ano que vem.

Movimento aparente anual do Sol ao redor do leste

Movimento aparente anual do Sol ao redor do ponto cardeal leste

 

E vale observar que estamos na fase da Lua Crescente. Na próxima quarta-feira, dia 23 de março, teremos a primeira Lua Cheia depois do equinócio de outono (no hemisfério sul). O primeiro domingo, depois da primeira Lua Cheia que ocorre logo após o equinócio de outono (no hemisfério sul) é definido como Domingo de Páscoa, como explicado nesse post que também justifica o Carnaval tão cedo em 2016, logo no começo do mês de fevereiro.

Aproveite bem o seu domingo, início de outono. E que o outono possa amenizar a “altíssima temperatura” dos últimos dias aqui no Brasil. Que os ânimos se acalmem. Que as paixões partidárias enfraqueçam e, com lucidez, possamos recuperar o amor pela nossa Nação, acima de tudo!


Já publicado no Física na Veia!

(*) post publicado na plataforma antiga do blog

 

 


Eclipse solar total como você nunca viu
Comentários 1

Prof. Dulcidio Braz Júnior

MIR_Moon-shadow

Sombra e penumbra da Lua Nova projetadas na superfície da Terra. Captura feita a partir da estação espacial soviética MIR.

 

A imagem acima é bastante popular entre os amantes da Astronomia. E a única que eu conhecia até hoje mostrando uma visão espacial rara: a sombra e a penumbra da Lua Nova projetadas na superfície do nosso planeta evidenciando a ocorrência do fenômeno do eclipse solar total.

Observadores privilegiados que estiverem por onde passa a penumbra da Lua Nova terão a visão de um eclipse solar parcial. E os mais sortudos, bem no centro (parte mais escura) da mancha, região chamada de sombra (ou umbra), serão contemplados com um eclipse solar total, momento raro em que o disco opaco da Lua pode tapar por completo o disco solar transformando, por alguns minutos, o dia em noite.

Mas hoje foi publicada uma animação espetacular mostrando o movimento da sombra e da penumbra da Lua Nova sobre a Terra a partir de várias capturas feitas pelo satélite meteorológico japonês Sunflower-8 durante o eclipse solar total que teve seu ápice às 9h53 minutos do dia 9 de março de 2016 (horário local da Indonésia) ou 21h53min do dia 8 de março (horário de Brasília).

Pela beleza e raridade da imagem, publico-a dividindo com meus leitores essa incrível visão do globo terrestre a partir do espaço durante um eclipse solar total.

Sunflower8_Moon-shadow

Sombra e penumbra da Lua Nova projetadas na superfície da Terra. Captura feita a partir do satélite
japonês Sunflower 8. Fonte: Spaceweather.com.

A imagem acima, estática, é um único frame da animação que você confere aqui na íntegra. Imperdível!

A imagem abaixo, feita na Indonésia, mostra a visão do eclipse solar total de um observador terrestre. Note acima, à direita, o disco solar totalmente coberto pela Lua Nova durante o eclipse solar de hoje (na Indonésia) ou ontem (no Brasil). Note que a coroa solar, que normalmente não vemos porque é ofuscada pela intensa luz solar, fica bastante evidente quando o Sol é tapado pelo disco lunar opaco.

Janne-PyykkAp-tern-IMG_5504-eclipse1b_1457495071_lg

Imagem capturada por Janne Pyykkö em Terante, Indonésia (9/março/2016)
Fonte: Spaceweather.com.

Abaixo temos uma visão mais técnica, também incrível, usando telescópio e filtro solar capaz de evidenciar belíssimas proeminências solares.

Fabrizio-Melandri-2016-March-9-Total-eclipse_1457518492_lg

Imagem capturada por Fabrizio Melandri em Balikpapan, Indonésia. (9/março/2016)
Fonte: Spaceweather.com.

Para saber mais detalhes sobre eclipses (solares e lunares), siga os links abaixo.


Já publicado no Física na Veia! 

(*) Posts na platforma antiga do blog

< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>