Física na Veia!

Finalmente capturei o C/2014 Q2 Lovejoy!

Prof. Dulcidio Braz Júnior

Foto guardada - aplicadas configuracoes.

Cometa C/2014 Q2 Lovejoy capturado com câmera digital (sem telescópio). Clique para abrir
em resolução maior noutra janela.

 

Hoje, por volta das 21h, tentei observar o cometa C/2014 Q2 Lovejoy. Quando tudo parecia que finalmente iria dar certo, uma névoa rala foi se condensando e cobriu o céu com um ''véu esbranquiçado''.  Frustração total!

Mas quem gosta de observar o céu tem que ser persistente. Havia um vento suave e imaginei que o céu poderia limpar. Voltei pro meu apartamento e aguardei uns 40 minutos. Vi pela janela que o céu estava começando a melhorar. Tornei a descer e fui para um terreno ao lado do meu condomínio, onde há menos luz.

Assim que minha visão se adaptou ao céu local, procurei o astro com um binóculo. Eu já sabia onde ele estaria (veja post anterior com dicas para encontrar o Lovejoy no céu). Depois, com uma câmera digital fixa num tripé, fui fazendo shots literalmente no escuro. Eu não via nada no visor da câmera! Foi tudo no chute,  variando parâmetros, ajustando a mira, depois o zoom, …, até que o cometa verdinho foi registrado. Daí para frente só alegria. Fiz várias imagens.

Veja abaixo o ''incrível'' equipamento que usei: câmera digital Sony DSC HX100V (semiprofissional).

C2014Q2Lovejoy_equipamento

Câmera digital Sony DSC HX 100V que usei na captura do C/2014 Q2 Lovejoy

 

As exposições pra valer foram de 5 s e também de 8 s, com ISO 1000. Pela primeira vez usei o software DSS – DeepSkyStacker (gratuito) para empilhar/processar diversos frames separados. O software integra várias imagens, criando um efeito de mais longa exposição. E analisa pixels que possam representar ruído do CCD, eliminando-os. Astrônomos profissionais trabalham com CCDs resfriados, para minimizar o ruído. O DSS opera um pequeno milagre e consegue driblar bastante o ruído eletrônico da captura digital. Muito útil!

Confira abaixo um dos seis frames brutos que usei para gerar a imagem processada lá do topo do post. Note que sem o processamento a imagem é muito menos nítida. Mas é bom deixar claro que o processamento do software não cria nada. Ele soma vários frames e elimina ruídos. Em outras palavras, tem algoritmo ''inteligente'' para preservar o que presta e eliminar o que não presta. Santo programinha para Astrofotografia! Não é por acaso que ele é bem famoso entre os astrônomos amadores.

C2014Q2_Lovejoy_13jan2015_dulcidio_bruta

Um dos frames da captura do cometa, sem processamento pelo DSS.

 

As estrelas, bem como o cometa, aparecem nas imagens como um risquinho (e não como um pontinho). É que não tenho equipamento de guiagem, ou seja, com motor de passo que permita compensar a rotação da Terra, mantendo os astros sempre na mesma posição dentro do campo visual da captura. Usei um tripé fixo que, na prática, por não ser tão profissional, também não é tão fixo assim. Disparei a câmera com retardo programado para minimizar oscilações. Mas meu equipamento é bem simples e não dá para fazer milagre!

Imagino que seja possível, com as mesmas imagens que capturei hoje, chegar a um resultado ainda melhor. Como eu disse, foi minha primeira vez no DSS que tem muitos recursos que nem sei como usar. Fui meio na intuição. Com calma, com mais tempo, vou tentar novos processamentos para aprender a usar esse novo brinquedinho!

E você? Já conseguiu ver o cometa Lovejoy? Fez registros fotográficos? Deixe aqui seus comentários compartilhando conosco as suas experiências!

Já estou sabendo por comentários, por e-mail, e até pelas redes sociais que vários leitores, a partir das minhas dicas, conseguiram observar o C/2014 Q2 Lovejoy e até fotografá-lo. Sensacional!

E se você ainda não conhece a fanpage do Física na Veia! no Facebook, dá uma passadinha por lá. Se curtir/seguir vai receber todos os posts daqui do blog em tempo real bem como uma infinidade de novidades diárias sobre Física e Astronomia.

Bons céus para todos nós! Boas observações!


Já publicado no Física na Veia!

 

Observação: não deixe comentários na plataforma antiga do blog. A chance deles serem publicados é mínima já que agora acompanho tudo por aqui. Ok?