Física na Veia!

Hoje tem Eclipse Lunar Penumbral

Prof. Dulcidio Braz Júnior

A animação acima, de autoria de LarryKoehn (publicada no site shadowandsubstance.com), ilustra de forma bastante didática e visual como será o eclipse lunar penumbral hoje (10 de fevereiro de 2017).

A Lua Cheia vai penetrar no cone de penumbra da Terra, região de ''meia luz''. Na prática, a Lua Cheia — sempre muito brilhante — vai perder um pouco do poder do seu luar, ficando menos brilhante.

Nos eclipses parciais ou totais, quando a Lua mergulha no cone de umbra (ou sombra) da Terra, o efeito é bem mais contundente porque a região do nosso satélite natural que penetra  na sombra da Terra, pela ausência de luz solar, vai ficando bem escura. O efeito, gradativo, provoca a curiosa impressão de que a Lua Cheia vai desaparecendo aos poucos, a partir da borda. Se o eclipse é total, com a Lua mergulhando por completo no cone de umbra do nosso planeta, ela escurece e, quando deveria desparecer por completo, por uma curiosidade ligada à refração da luz na atmosfera da Terra, fica bem avermelhada, da cor de tijolo. É sempre um espetáculo lindo de observar. Na segunda metade de um eclipse lunar umbral, quando a Lua vai deixando a sombra do nosso planeta, aos poucos vai ficando novamente brilhante, dando a impressão de ir reaparecendo.

Mas hoje estaremos muito longe disso. Para a maioria das pessoas, o eclipse lunar dessa noite, por ser apenas penumbral, não terá muita graça. De tão sutil, poderá até mesmo passar despercebido por aqueles que não estão sabendo do acontecimento astronômico. Mas vale como curiosidade fenomenológica e também como comprovação das leis da Física.

Se quiser saber mais sobre eclipses, siga os links abaixo para outros posts já publicados aqui no blog, em especial este post que aborda eclipses lunares com detalhes.

Se quiser tentar acompanhar o fenômeno hoje à noite, ele começará por volta das 20h (horário de Brasília) e terá máximo às 22h44min. Basta procurar pela Lua Cheia e ficar observando-a.

Eclipses Quinzenados

Sempre que acontece um eclipse lunar, quinze dias antes ou quinze dias depois aconteceu/acontecerá outro eclipse, só que solar.

Isso ocorre porque eclipses acontecem sempre com Sol/Terra/Lua ou Sol/Lua/Terra alinhados numa direção chamada linha dos nodos que coincide com a intersecção do plano da órbita da Terra ao redor do Sol com o plano da órbita Lua ao redor da Terra. Veja ilustração logo abaixo.

eclipses_linha_dos_nodos

A órbita da Lua ao redor da Terra está num plano inclinado em relação ao plano da órbita da Terra
ao redor do Sol. Isso torna o alinhamento dos três astros, necessário para a ocorrência de eclipse,
algo bem mais raro.

 

Como a Lua demora aproximadamente 15 dias para dar meia volta ao redor da Terra, se hoje existe um alinhamento Sol/Terra/Lua e, portanto, eclipse lunar, quinze dias depois a Lua dá meia volta na Terra e acontecerá alinhamento Sol/Lua/Terra, com eclipse solar.

Hoje, 10 de fevereiro, os três astros estarão alinhados sobre a linha dos nodos, com a Terra entre o Sol e a Lua, propiciando eclipse lunar. Daqui 15 dias, em 26 de fevereiro, domingo de Carnaval, depois da Lua dar meia volta na Terra, ficará entre o Sol e a Terra e teremos eclipse solar que, para a nossa sorte, será visível no Brasil.

Minhas imagens do eclipse penumbral

eclipse_lunar_10fev2017

Lua Cheia nascendo sobre a serra, em São João da Boa Vista, SP, Brasil [Crédito: Dulcidio Braz Jr]

eclipse_lunar_10fev2017_3momentos

Três momentos do eclipse penumbral. Sutis diferenças no brilho da Lua registrada em São João da Boa
Vista, SP, Brasil [Crédito: Dulcidio Braz Jr]

Note que, logo depois do nascer, na primeira imagem (20h18min), a Lua Cheia tem brilho homogêneo. Mais tarde (22h23min), ela já perdeu brilho, e ficou mais escura. A última imagem (22h46min) corresponde aproximadamente ao meio do período do fenômeno e, portanto, ao seu ápice. Mas, como eu disse no texto acima, as diferenças são sutis e, quem não está sabendo do eclipse, certamente não percebeu as mudanças.


Já publicado no Física na Veia!

* posts na plataforma antiga do blog